Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Rússia divulga fotos de suspeitos de planejar atos terroristas nos Jogos de Inverno

As autoridades divulgaram imagens de quatro mulheres e dois homens que planejam atentados suicidas durante a passagem da tocha olímpica

Por Da Redação 21 jan 2014, 14h26

Preocupados com as últimas ameaças de atentados terroristas feitas por extremistas islâmicos do Cáucaso, as autoridades russas divulgaram nesta terça-feira a imagem de quatro mulheres, apelidadas de “viúvas-negras”, e dois homens que estariam planejando ataques suicidas durante a passagem da tocha olímpica dos Jogos de Inverno por Rostov-on-Don, um dos últimos pontos de parada antes de a cerimônia ter início na cidade-sede de Sochi, em 7 de fevereiro. Os pôsteres de ‘procurados’ alertam que os suspeitos poderão provocar os atentados entre esta terça e quinta-feira, segundo a NBC News. Os organizadores dos Jogos acreditam que a tocha olímpica chegará em Rostov-on-Don na quarta-feira.

Leia também:

Atentados deixam 34 mortos na Rússia

Putin nega esquemas de corrupção em Sochi-2014

As autoridades procuraram deixar claro que as terroristas não usarão trajes típicos islâmicos, como véus e longos vestidos. A tática seria adotada para que as mulheres se infiltrassem com facilidade entre o público que acompanhará a passagem da tocha. As suspeitas que estão na mira dos serviços de inteligência são Ruzana Ibragimova, de 22 anos, Zaira Alieva, 26, e Jhannet Tsakhaeva, 34, provenientes da região do Daguestão, e Oksana Aslanova, 26, do Turcomenistão. Elas foram apelidadas de “viúvas-negras” por terem se filiado a grupos extremistas para vingar a morte dos maridos.

Continua após a publicidade

Além das quatro mulheres, as autoridades procuram por dois homens que estariam tramando atentados ao sul da Rússia: Ruslan Saufutdinov, de 21 anos, e Murad Musaev, 25. Eles estariam estudando as “brechas na segurança de Sochi”, segundo a NBC News. O maior desafio para as forças de segurança, contudo, é rastrear os passos dos chamados “lobos-solitários”, que geralmente trabalham longe das grandes redes terroristas para não chamar a atenção das autoridades. “O problema com esses terroristas suicidas é que a inteligência do governo não é suficiente. É preciso pensar em medidas preventivas”, afirmou Andrei Soldatov, um especialista em segurança russo.

Rostov-on-Don está a 563 quilômetros de Sochi e será a 120ª cidade a receber a passagem da tocha olímpica. Outros dezesseis municípios também receberão a simbólica chama antes de a cerimônia oficial ter início. A tensão na região aumentou consideravelmente nos últimos dias, quando terroristas intensificaram as ameaças contra os turistas que visitarão Sochi. Em um vídeo divulgado na segunda-feira, os rebeldes mandaram um recado ao presidente russo Vladimir Putin e aos visitantes que pretendem assistir às competições: “Em relação aos Jogos Olímpicos, preparamos um presente para você e para os turistas, a fim de vingar o sangue dos muçulmanos derramado no mundo inteiro”.

O balneário de Sochi, às margens do Mar Negro, está situado próximo à região do Cáucaso – área de maioria muçulmana que sofre com ataques contra civis, forças policiais e autoridades públicas. Os rebeldes muçulmanos lutam pela independência da Rússia e pela criação de um Estado islâmico.

Suspeito morto Segundo o jornal britânico The Guardian, uma operação realizada nesta terça-feira no Daguestão resultou na morte de Eldar Magatov, um guerrilheiro suspeito de cometer diversos ataques contra alvos russos. A morte do extremista faz parte de uma megaoperação colocada em prática para inibir as ações terroristas dos rebeldes.

Ajuda dos EUA – O Pentágono, responsável por coordenar a inteligência militar dos Estados Unidos, comunicou que o governo americano ofereceu apoio à Rússia para cuidar da segurança dos Jogos de Inverno. Além de suporte aéreo e naval, o país deixou dois navios de guerra à disposição das autoridades russas. Funcionários do Exército americano, no entanto, disseram que a chance de o presidente Vladimir Putin requisitar a ajuda é “zero”.

Continua após a publicidade
Publicidade