Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Rua em frente à Casa Branca muda de nome para ‘Black Lives Matter’

A frase 'Vidas Negras Importam' também foi pintada no asfalto; ação da Prefeitura ocorre em meio a protestos contra o racismo e a morte de George Floyd

Por Da Redação 5 jun 2020, 18h38

A prefeitura de Washington, D.C., mudou nesta sexta-feira, 5, o nome da rua que fica em frente à Casa Branca para “Black Lives Matter” (“Vidas Negras Importam”), o slogan do movimento negro nos Estados Unidos. A alteração ocorre em meio a protestos massivos contra o racismo no país após a morte de George Floyd, que era negro, pelo policial branco Derek Chauvin, no último dia 25.

“Queremos chamar hoje a atenção para garantir que nossa nação seja mais igual e justa e que vidas negras e humanidade negra sejam importantes em nossa nação”, disse a prefeita Muriel Bowser, durante inauguração do novo nome da 16th Street.

Nesta mesma via, a polícia atacou multidões de manifestantes pacíficos com spray de pimenta na segunda-feira 1. O objetivo das forças de segurança era abrir caminho para o presidente Donald Trump sair da Casa Branca e realizar uma sessão de fotos com uma Bíblia na mão em frente à Igreja de St. Johns, vandalizada após protestos na noite anterior.

Além disso, a prefeitura também escreveu a frase “Black Lives Matter” no asfalto, em grandes letras amarelas que ocupam dois quarteirões em frente à praça Laffayete.

Voluntários, com permissão da prefeitura, pintaram a frase “Black Lives Matter” em frente à Casa Branca, após sete dias de protestos em Washington em resposta à morte de George Floyd – 05/06/2020 Tasos Katopodis/Getty Images/AFP

No entanto, o gesto não agradou a todos. A associação “Black Lives Matter DC” censurou a prefeita do Partido Democrata, que é negra, por fazer isso como “uma distração das reais mudanças políticas” que eles exigem.

“Esta é uma distração teatral das mudanças políticas reais. Bowser esteve repetidamente no lado errado da ‘Black Lives Matter DC’. Isso é para apaziguar os liberais brancos enquanto ignora nossas demandas. ‘Black Lives Matter’ significa não financiar a polícia”, disse a entidade no Twitter.

As principais cidades dos Estados Unidos foram palco de grandes protestos em resposta à morte de George Floyd, um negro de 46 anos, no dia 25 de maio, durante abordagem policial.

Continua após a publicidade
  • O ex-policial Derek Chauvin rendeu Floyd, que estava desarmado, sufocando-o com o joelho durante 8 minutos e 46 segundos. Imagens captadas por testemunhas mostraram que, mesmo repetindo a frase “Não consigo respirar”, Floyd não teve o pescoço liberado pelo policial.

    Também nesta sexta-feira, Trump provocou indignação da população e de organizações da sociedade civil por comentários em relação a George Floyd durante uma coletiva de imprensa.

    “Felizmente, George está olhando para baixo agora e dizendo: ‘Isso é uma ótima coisa que está acontecendo para o nosso país'”, disse Trump. “Este é um ótimo dia para ele, um ótimo dia para todos. Este é um ótimo dia para todos”, completou. A organização liberal Center for American Progress Action disse que o comentário do presidente era “desprezível”.

    (Com EFE)

    Continua após a publicidade
    Publicidade