Clique e assine a partir de 9,90/mês

Romney pede a deputado que retire candidatura após comentário sobre estupro

O candidato republicano à presidência dos Estados Unidos havia classificado as declarações de Todd Akin como “insultos imperdoáveis”

Por Da Redação - 21 ago 2012, 19h17

O candidato republicano à presidência dos Estados Unidos, Mitt Romney, pediu nesta terça-feira que o deputado de seu partido Todd Akin retire sua candidatura a senador pelo estado do Missouri em razão das declarações sobre estupro feitas por ele no último domingo.

“Hoje seus colegas do Missouri o aconselharam a renunciar e eu acho que deveria aceitar o conselho” afirmou Romney, por meio de um comunicado. “As declarações de Todd Akin foram ofensivas e errôneas e ele deveria considerar seriamente que caminho seguir, pelo interesse de nosso país”, acrescentou.

Na última segunda-feira, o candidato republicano à presidência já havia classificado as declarações de Akin como “insultos imperdoáveis”. O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, por sua vez, chamou as afirmações de “ofensivas”.

Leia também: Todd Akin disse que casos de gravidez depois de estupro são ‘muito raros’, pois mulheres têm ‘defesa biológica’

Continua após a publicidade

Segundo a legislação do Missouri, Akin tinha até as 19 horas (no horário de Brasília) desta terça-feira para renunciar voluntariamente e permitir que seu partido apresentasse outro candidato para concorrer com a senadora democrata Claire McCaskill pela cadeira do estado no senado.

Apesar de ter pedido desculpa por seus comentários, o deputado se negou a abandonar sua candidatura. “Quero deixar uma coisa absolutamente clara. Vou continuar na corrida pelo Senado”, disse hoje, em uma entrevista ao programa de rádio do ex-governador do Arkansas Mike Huckabee.

Durante a conversa, Akin ainda reiterou sua posição contrária ao aborto e revelou ter recebido apoio de pequenos doadores. “O respeito pela vida é parte de nossa cultura. Talvez o Partido Republicano precise incluir isso como parte de sua mensagem”, refletiu o congressista.

Publicidade