Clique e assine a partir de 9,90/mês

Romney ganha em Nevada, mas adversários não se rendem

Por Por Michael Thurston - 5 fev 2012, 16h24

Mitt Romney consolidou-se como candidato favorito à indicação republicana à eleição presidencial dos Estados Unidos, depois de ter saído vitorioso no sábado das prévias no estado de Nevada (oeste), mas seus adversários, em particular Newt Gingrich, prometem lutar até o final.

Enquanto os pré-candidatos em disputa voltam suas atenções para Colorado (oeste), Minnesota (norte) e Missouri (centro), com primárias a serem realizadas nesta semana, especialistas preveem que Mitt Romney e seu mais próximo rival, o ex-presidente da Câmara de Representantes, Newt Gingrich, vão se manter, provavelmente, frente a frente, até a convenção do Partido Republicano, em agosto.

Domingo pela manhã, com a contagem de 71% dos votos, Romney tinha quase 48% do total, contra 23% de Gingrich.

O representante do Texas Ron Paul aparece em terceiro lugar, com 18%, seguido do religioso conservador Rick Santorum com 11%.

No discurso depois da vitória, Mitt Romney não pronunciou uma só vez os nomes dos adversários, e preferiu atacar o presidente Barack Obama, apresentando-se como o candidato natural dos republicanos.

“As políticas equivocadas do presidente prolongaram os tempos difíceis que vivemos”, disse. “Os Estados Unidos precisam de um presidente capaz de recuperar a economia, por quem entenda de economia. Eu entendo e o farei”, disse a um grupo de militantes.

Mas Gingrich afirmou que vai lutar até o final, e que em abril terá o mesmo número de delegados de Romney antes da convenção republicana de agosto, em Tampa (Flórida, sudeste).

“Continuarei na campanha até Tampa”, declarou Gingrich durante entrevista na noite de sábado.

Continua após a publicidade

Ele prometeu “uma série de vitórias que, depois das prévias do Texas (sul, no dia 3 de abril)” vão deixá-lo “no mesmo nível que o governador Romney”.

Na corrida para obter os 1.144 delegados necessários para garantir a candidatura presidencial, Mitt Romney, com suas vitórias em New Hampshire (nordeste) e Flórida, está claramente à frente, com 95 delegados. Gingrich dispõe de 30, Ron Paul de 13 e Rick Santorum, de 10 delegados.

Na manhã deste domingo, não era possível ainda determinar a distribuição dos 28 delegados de Nevada entre os pré-candidatos.

Gingrich reiterou ao canal CBS suas críticas a Romney, a quem considera muito moderado: “um republicano autêntico é ainda a melhor opção para derrotar Barack Obama do que alguém que, francamente, por muitos aspectos, não é muito diferente do presidente”.

David Damore, professor de Ciências Políticas da Universidade de Nevada, prevê que Gingrich se manterá na corrida, mas considera que precisará obter bons resultados na Superterça (no dia 6 de março, quando serão realizadas primárias simultâneas em seis estados) se quiser obter a candidatura de seu partido.

“Não acho que jogará a toalha; não antes de Ron Paul”, declarou à AFP. “Se não obtiver um grande resultado (no dia 6 de março), permanecerá insignificante. Mas se fizer a diferença, então vamos nos divertir em Tampa!”.

A cômoda vitória de Romney em Nevada era previsível. Trata-se de um estado onde há muitos mórmons, como o candidato. Seu vitorioso passo firme, no entanto, foi vítima de uma torção nesta semana, depois de declarar que não tinha propostas “em favor dos americanos mais pobres”, que já se beneficiam, segundo ele, de uma rede previdenciária nos Estados Unidos.

O pré-candidato tentou retificar a frase, ao admitir que se expressou mal em meio a várias entrevistas, mas Gingrich aproveitou para reforçar as críticas a Romney.

Continua após a publicidade
Publicidade