Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Residência oficial do premiê japonês revive histórias de assombração

Governo nega que boatos sobre fantasmas tenha atrasado mudança do atual primeiro-ministro para o local

Por Da Redação 25 Maio 2013, 15h17

O atraso na mudança do primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, e de sua esposa para a residência oficial do governo, em Tóquio, reacendeu o mito de que o local é assombrado. Segundo a tradição, assassinatos ocorreram no passado na residência, marcada ainda por aparições sobrenaturais. O governo nega conhecer o assunto.

Há cinco meses no poder, Abe não se mudou para a residência oficial nem explicou a razão da decisão. Contudo, a demora não é incomum entre os líderes japoneses.

A residência, antigo gabinete do primeiro-ministro, foi construída em 1929 e abrigou rebeliões militares, inclusive em 1932, quando o então primeiro-ministro Tsuyoshi Inukai foi assassinado. Rumores de fantasmas assombram há tempos o prédio, remodelado no início dos anos 2000. Há oito anos, o local se tornou residência oficial do primeiro-ministro e de sua família.

(Com agência Reuters)

Continua após a publicidade
Publicidade