Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Reino Unido se prepara para sair da União Europeia sem nenhum acordo

Ambos os lados trabalham em alternativa para evitar controles aduaneiros entre as Irlandas a partir de 29 de março, quando Londres deixará o bloco

O principal negociador do Reino Unido para o Brexit, Dominic Raab, admitiu nesta terça-feira (9) que Londres está “acelerando os preparativos” para a hipótese de deixar a União Europeia sem antes alcançar nenhum acordo. Raab deixou claro, porém, que esta não é a opção ideal.

Durante sabatina no Parlamento britânico, Raab disse que as negociações com Bruxelas se intensificou, mas as diferenças em relação ao Brexit permanecem. O principal atrito está na questão aduaneira na fronteira entre a Irlanda do Norte (parte do Reino Unido) e a República da Irlanda, membro da União Europeia.

“Não vamos assinar nenhum acordo que tenha barreira aduaneira na Irlanda do Norte”, disse Raab. “Não vamos aceitar nada que viole as regras e a integridade constitucional do Reino Unido.”

Os dois lados teriam até o próximo dia 18, quando acontece a reunião de cúpula do Conselho Europeu, para aprovar o acordo — a ser aplicado a partir de 29 de março de 2019, quando o Reino Unido se retirará oficialmente do bloco. A hipótese de um consenso até lá, entretanto, é cada vez mais remota.

O governo de Theresa May, primeira-ministra britânica, está dividido sobre a sua proposta, o Plano Chequers, que prevê a adoção de um acordo de livre comércio imediato entre os dois lados. Boa parte de sua base conservadora no Parlamento, entretanto, rejeita o projeto. A oposição trabalhista está disposta a aceitá-la, sob condições. A debilidade política de May não contribui para o processo.

No Parlamento, Raab afirmou que se não houver acordo até o dia 18, ainda há margem para as negociações prosseguirem em novembro. Se, ainda assim, não houver progresso, a alternativa possível seria ambos os lados chegarem a uma solução emergencial e temporária (ou “backstop“, em inglês), para evitar a instalação de controles físicos na fronteira entre a República da Irlanda e a Irlanda do Norte.

“Fomos muito claros que a solução emergencial teria de ser uma ponte temporária e finita para a futura relação (entre Londres e Bruxelas), que suplantaria a necessidade de qualquer regime permanente (entre as duas Irlandas)”, declarou Raab.

Em caso de um não acordo, Raab disse que o Reino Unido quer que os cidadãos da União Europeia “permaneçam em nosso país” e que Bruxelas dê garantias de permanência aos cidadãos britânicos.

(Com Estadão Conteúdo)