Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Reino Unido impõe sanções contra familiares e suposta namorada de Putin

Objetivo é expor e mirar 'rede obscura que sustenta o estilo de vida luxuoso' do presidente russo, segundo Chancelaria britânica

Por Da Redação 13 Maio 2022, 17h48

O Ministério das Relações Exteriores do Reino Unido impôs nesta sexta-feira, 13, novas sanções contra a Rússia, desta vez contra membros do círculo próximo e da família do presidente Vladimir Putin, incluindo sua suposta namorada e a avó dela. Entre as sanções estão o congelamento de bens e a proibição de viagens.

A justificativa do governo britânico foi que Putin possui oficialmente apenas ativos modestos em seu nome: um pequeno apartamento em São Petersburgo e dois carros da era soviética. Seriam essas pessoas que ajudariam o presidente russo a manter um estilo de vida luxuoso, que incluiria uma suposta mansão na costa do Mar Negro.

+ Onde Putin esconde sua fortuna, e por que é tão difícil encontrá-la

“Putin confia em sua rede de familiares, amigos de infância e elite selecionada que se beneficiaram de seu governo e, por sua vez, apoiam seu estilo de vida. Sua recompensa é a influência sobre os assuntos do estado russo que vai muito além de suas posições formais”, afirmou a Chancelaria britânica em comunicado.

Segundo Liz Truss, secretária de Relações Exteriores do Reino Unido, o objetivo é expor e mirar “a rede obscura que sustenta o estilo de vida luxuoso de Putin” ao apertar o cero contra seu círculo íntimo.

Continua após a publicidade

“Continuaremos com sanções a todos aqueles que ajudam e favorecem a agressão de Putin até que a Ucrânia prevaleça”, afirmou.

De acordo com uma contagem do Ministério das Relações Exteriores, o governo do Reino Unido impôs sanções contra mais de 1.000 indivíduos e 100 entidades desde a invasão russa da Ucrânia, em fevereiro deste ano. A medida mais importante até agora foi o congelamento dos bens de Roman Abramovich, proprietário do clube de futebol Chelsea. Além disso, ele também foi proibido de viajar para o Reino Unido.

A suposta namorada de Putin, Alina Kabaeva, é uma ex-ginasta rítmica olímpica, e ocupa posições de poder dentro da Rússia. Ela preside o conselho do Grupo Nacional de Mídia da Rússia, que controla várias emissoras de televisão. Por mais de seis anos foi parlamentar do partido Rússia Unida de Putin. Já a avó de Kabaeva, Anna Zatseplina, está associada a Gennady Timchenko, um bilionário com ligações estreitas com Putin.

+ Quem é a suposta amante de Putin que teria fugido para a Suíça

Além delas, também estão na lista a ex-mulher de Putin, Lyudmila Ocheretnaya. Eles se divorciaram em 2014, mas desde então, segundo o comunicado, ela “se beneficiou de relações comerciais preferenciais com entidades estatais e exibiu uma riqueza inexplicavelmente significativa”.

As sanções também incluem Igor Putin, empresário e primo do presidente; Mikhail Putin, outro empresário que se acredita ter parentesco com o governante russo.; Roman Putin, que é filho de Igor Putin e dirige uma empresa de consultoria; e Mikhail Shelomov, empresário e primo de Putin.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês