Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Reino Unido e União Europeia chegam a acordo sobre o Brexit

Acerto acontece a uma semana do prazo final e quatro anos depois do referendo que decidiu a saída britânica do bloco

Por Da Redação Atualizado em 24 dez 2020, 13h26 - Publicado em 24 dez 2020, 12h29

O governo do Reino Unido e a União Europeia enfim chegaram a um acordo comercial sobre o Brexit – a saída dos britânicos do bloco europeu decidida em um referendo na Grã-Bretanha há mais de quatro anos.

O acerto foi anunciado pelo primeiro-ministro britânico Boris Johnson e pela presidente de Comissão Europeia Ursula von der Leyen depois de onze meses de negociações entre as duas partes e ainda precisa ser aprovado pelo legislativo do Reino Unido e pelo Parlamento Europeu.

O prazo final para chegar a um acordo terminaria na semana que vem, em 1º de janeiro.

Reações

“Nós concluímos o Brexit e agora podemos aproveitar as fantásticas oportunidades que se abrem”, comemorou Boris Johnson após o anúncio. Em nota, o governo afirmou que “tudo o que foi prometido ao povo britânico no referendo de 2016 e nas eleições gerais do ano passado foi entregue neste acordo”. Johnson foi eleito em 2019 prometendo concluir o Brexit.

“Nós retomamos o controle do nosso dinheiro, das nossas fronteiras, das nossas leis, do nosso comércio e das nossas águas de pesca.” O comunicado destaca ainda que o acerto foi alcançado em “condições extremamente desafiadoras”.

Continua após a publicidade

A líder da UE, por sua vez, afirmou que o pacto é “justo e equilibrado”. “Foi uma estrada longa e tortuosa, mas conseguimos um bom acordo.”

Segundo o jornal The New York Times, apesar de ter milhares de páginas, o acerto ainda deixa questões complexas para serem resolvidas mais tarde. A confirmação do acordo, porém, afasta o temor de um Brexit não negociado, que poderia ter um impacto ainda mais traumático para o Reino Unido e a União Europeia.

Sem um acordo, a relação entre Reino Unido e UE seria submetida a partir do ano que vem às regras da Organização Mundial do Comércio (OMC), mais restritivas, que não admitem descontos e privilégios. Tudo isso em meio aos impactos do coronavírus. O acordo comercial do Brexit buscou evitar justamente isso.

 

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês