Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Reino Unido desiste de exigir passaporte da vacina em bares e restaurantes

Governo britânico deve apresentar plano ao Parlamento para que o documento seja exigido apenas em eventos maiores, em teatros e arenas esportivas

Por Duda Monteiro de Barros 28 abr 2021, 15h56

O governo do Reino Unido descartou a ideia de tornar obrigatória a apresentação de passaportes da vacinação contra a Covid-19 para a entrada em bares e restaurantes no país. A análise do governo provavelmente recomendará que os documentos sejam exigidos apenas para eventos maiores, como shows e feiras. 

Os planos para o uso dos chamados passaportes para vacinas geraram revolta entre os parlamentares conservadores, embora o primeiro-ministro Boris Johnson tenha sugerido em várias entrevistas que apoiava seu uso.

Mas nesta quarta-feira, 28, fontes do gabinete do premiê confirmaram ao jornal The Guardian que o governo planeja exigir os certificados da Covid-19 – que incluiriam comprovante de vacinação, um teste recente para anticorpos ou teste positivo para a doença – apenas para eventos maiores em locais como teatros, salas de música ou arenas esportivas.

O gabinete deve apresentar um plano inicial sobre o tema para Parlamento ainda nesta semana. O plano ainda pode ser modificado e o governo não excluiu a possibilidade de proprietários de restaurantes fazerem seus próprios julgamentos sobre os termos de entrada. 

O governo agora investiga se os locais que exigirem certificação na entrada poderiam relaxar as regras de distanciamento social – um regulamento que seria um grande incentivo para locais que operam com capacidade muito menor sob as restrições atuais.

Continua após a publicidade

Michael Gove, ministro-chefe do gabinete, e o vice-diretor médico da Inglaterra, Jonathan Van-Tam, visitaram Israel recentemente para estudar o sistema de passes verdes do país, que é usado para entrar em todos os restaurantes, bares, academias, hotéis, teatros e outros locais. O passe não é obrigatório para pessoas sentadas ao ar livre.

O Reino Unido está trabalhando na criação de um passaporte digital de vacinação contra a Covid-19, seguindo os passos da União Europeia, que vê a medida como essencial para permitir o turismo na região durante o verão.

A iniciativa foi revelada nesta quarta-feira, 28, pelo secretário de Transportes do Reino Unido, Grant Shapps. Segundo ele, o passaporte terá como base um aplicativo já existente do Serviço Nacional de Saúde.

Shapps afirmou que pretende revelar mais detalhes do passaporte digital nas próximas semanas. O Reino Unido está elaborando uma “lista verde” de destinos que os britânicos poderão visitar nos próximos meses, quando o primeiro-ministro Boris Johnson deve liberar as viagens internacionais de turismo. 

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)