Clique e assine a partir de 8,90/mês

Regime sírio nega ter usado tanques e helicópteros em Treimsa

Por Da Redação - 15 jul 2012, 09h13

As tropas do regime sírio não utilizaram helicópteros nem artilharia pesada na operação sangrenta de quinta-feira em Treimsa, afirmou neste domingo o porta-voz do ministério das Relações Exteriores, Jihad Makdesi, que nega que tenha ocorrido um “massacre”.

O exército “utilizou transportes de tropas do tipo BMB, armas leves, lança-foguetes. Não recorreu a aviões, nem a tanques, nem a helicópteros e nem a artilharia”, disse Makdesi em uma coletiva de imprensa.

“Falr de recurso à artilharia pesada carece completamente de fundamento”, insistiu.

Em uma nota dirigida ao Conselho de Segurança da ONU, o mediador Kofi Annan denunciou o uso em Treimsa “de artilharia, de tanques e de helicópteros”, confirmado pelos observadores das Nações Unidas, e considerou que se tratava de uma violação do plano de paz oficialmente aceito por Damasco.

“A carta de Kofi Annan foi muito precipitada e não se baseia nos fatos”, disse Makdesi.

Segundo ele, “não ocorreu um massacre. O que aconteceu (é que) ocorreram combates com grupos armados que ignoraram o plano (do emissário internacional) Kofi Annan para resolver a crise na Síria”.

“Grupos terroristas atacaram a aldeia e instalaram sedes de comando, aterrorizaram e torturaram os habitantes”, disse.

“Não foi um ataque do exército contra civis, mas combates entre o exército regular e grupos armados”, insistiu.

Continua após a publicidade
Publicidade