Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Redator de discursos de Trump renuncia após acusação de abuso

Na quinta-feira, outro funcionário da Casa Branca já havia pedido demissão por circunstâncias semelhantes

Por Estadão Conteúdo 10 fev 2018, 16h49

O redator de discursos da Casa Branca David Sorensen renunciou ao seu cargo após acusações de abuso feitas pela sua ex-esposa. Esta é a segunda demissão de membros do governo de Donald Trump nesta semana após queixas de violência doméstica.

O porta-voz da Casa Branca Raj Shah disse que o governo soube na quinta-feira à noite sobre as alegações, antes de ser contatado pela imprensa. “Nós imediatamente confrontamos o funcionário, ele negou as alegações e renunciou”, disse Shah.

Antes de ser redator, Sorensen trabalhou para o Conselho de Qualidade Ambiental, que faz parte do gabinete executivo do presidente.

Segundo o jornal Washington Post, a ex-esposa de Sorensen, Jessica Corbett, afirmou que ele era violento e emocionalmente abusivo durante o turbulento casamento de dois anos e meio. A mulher afirmou também que chegou a denunciar o comportamento do ex-marido ao FBI no outono passado, quando o órgão realizava a verificação de antecedentes.

  • Segundo a Casa Branca, a posição de redator não exige autorização especial de segurança, como outros cargos do governo americano. Por isso, apesar de já estar exercendo suas funções, a checagem de antecedentes de Sorensen ainda não havia sido finalizada.

    A renúncia do redator foi comunicada apenas dois dias depois de outro funcionário da Casa Branca deixar seu posto por circunstâncias semelhantes. Rob Porter, assessor de Trump, renunciou após acusações de duas ex-esposas, que afirmaram que ele cometia abusos físicos e emocionais.

    O presidente chegou a defender Porter após sua demissão. “Ele diz que é inocente, acho que devemos lembrar-nos disso”, afirmou na sexta-feira, em uma conferência de imprensa na Sala Oval. “Descobrimos recentemente e ficamos surpreendidos. Desejamos-lhe o melhor e sabemos que é um momento difícil para ele”, disse.

    Continua após a publicidade
    Publicidade