Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Rebeldes identificam o paradeiro de Kadafi, segundo TV

Informação não foi confirmada pelo Conselho de Transição, que relata morte de um dos filhos do ditador, em combate. Rebeldes cercam redutos leais ao regime

Por Da Redação 4 set 2011, 15h11

As forças do Conselho Nacional de Transição (CNT) da Líbia afirmaram, neste domingo, ter identificado o paradeiro do ditador deposto Muamar Kadafi, segundo a rede de televisão árabe Al Jazeera. Um repórter do canal divulgou a informação, atribuindo-a ao chefe do conselho militar em Trípoli, Abdul Hakim Belhadj. A rede, porém, não informou onde o coronel estaria escondido.

Os combatentes cercaram, na noite de sábado, um importante reduto de aliados do ditador e esperam a rendição das forças pró-Kadafi. Embora pretendam evitar um conflito com os apoiadores do regime do coronel, os rebeldes já se preparam para invadir Bani Walid, que está cercada pelos rebeldes e fica a 140 quilômetros ao sudeste da capital, Tripoli.

Cronologia – Relembre os fatos marcantes da revolta líbia

Em Bani Walid estão os membros da tribo Warfala, leal ao ditador. Segundo as forças de transição, a tribo divide-se entre entregar suas armas aos rebeldes ou combate-los em defesa do ditador. O porta-voz militar dos rebeldes, o coronel Ahmed Bani, acredita que a Warfala irá se entregar para evitar uma guerra entre os membros. “Eles irão se render ao final, porque são primos e não querem derramar o sangue uns dos outros”, afirmou Walid, segundo a rede de televisão CNN.

Os rebeldes deram um ultimato aos defensores de Kadafi também em Sirte, onde acredita-se que o ditador possa estar escondido. Caso contrário, enfrentarão forças militares. No sábado, de acordo com o Conselho de Transição, as forças anti-Kadafi se posicionaram ao redor da cidade natal de Kadafi, Sirte, e em Bani Walid, onde há um grande grupo simpático ao ditador.

Morte – Também neste domingo, o porta-voz militar dos rebeldes, Ahmed Omar Bani, confirmou a morte de Khamis Kadafi, um dos filhos do ditador deposto, em combates a 90 quilômetros ao sudoeste de Trípoli.

Em entrevista coletiva em um hotel de Benghazi, capital dos revolucionários, Beni explicou que Hamis e Mohammed al Senussi, um dos filhos do chefe dos serviços de Inteligência Militar do anterior regime, Abdullah al Senussi, morreram.

No último dia 29, o canal de televisão Al Arabiya, citando uma fonte rebelde, afirmou que Khamis havia falecido no dia anterior em um combate nessa localidade. Khamis, nascido em 1978, participou como chefe militar na repressão das manifestações que explodiram em fevereiro na Líbia e que desembocaram em uma guerra civil que praticamente derrubou o regime de Muammar Kadafi.

Com a confirmação da morte de Khamis e após a fuga à Argélia de três dos filhos de Kadafi, continuam em paradeiro desconhecido, além do próprio ditador, Seif al Islam, o rosto midiática do regime e o mais provável sucessor de seu pai no poder; Saadi, ex-jogador, e Mutasim, chefe do Conselho de Segurança Nacional. Bani declarou que não possui nenhuma informação sobre o paradeiro de Kadafi e lembrou que a Líbia é um país extenso com seis milhões de habitantes. “Esteve 42 anos no poder, e este homem é capaz de se disfarçar”, considerou Bani, que, no entanto, acredita que o líder foragido já está fora do país.

Continua após a publicidade
Publicidade