Clique e assine a partir de 9,90/mês

Rapper mexicano confessa ter dissolvido corpos de estudantes em ácido

Ele teria sido recebido 159 semanais de um cartel para se livrar dos corpos dos estudantes mortos depois de sequestrados e torturados

Por Da redação - Atualizado em 26 abr 2018, 15h42 - Publicado em 26 abr 2018, 10h57

O rapper e youtuber mexicano conhecido como QBA confessou ter dissolvido em ácido os corpos de três estudantes de cinema assassinados por membros de um cartel. O  crime chocou o país.

QBA ou Christian Omar “N” foi um dos dois detidos pelos assassinatos de Salomón Aceves Gastélum, de 25 anos, Daniel Díaz, de 20, e Marco Ávalos, também de 20 anos, sequestrados no dia 19 de março no Estado de Jalisco, no México.

Christian Omar revelou aos policiais  que foi recrutado por um amigo para ajudar um cartel a se desfazer dos corpos dos rapazes. Ele teria recebido 3.000 pesos semanais (cerca de 159 dólares) para dissolver os corpos em ácido.

A responsável pelas investigações, Lizette Torres, afirmou à agência AFP que o rapper já teria participado de outros três homicídios em circunstâncias semelhantes.

Continua após a publicidade

Os estudantes foram capturados em março por homens disfarçados de policiais. De acordo com os investigadores, membros do Cartel Jalisco Nova Geração (CJNG), um dos mais poderosos do México, teriam confundido os rapazes com membros de uma gangue rival.

Os jovens foram levados para uma fazenda, onde foram interrogados e torturados. Quando Salomón Aceves Gastélum não resistiu às torturas e morreu, a gangue resolveu matar seus dois amigos e chamou Christian Omar para se livrar dos corpos.

Além do rapper, outro suspeito foi preso. A polícia continua procurando outros cinco suspeitos.

Christian Omar mantinha duas páginas de Facebook, com 90.000 e 50.000 seguidores, e um canal no YouTube com 123.000 seguidores. Em canções como “La muerte no tiene horario”, “El infierno” ou “Mala vida”, QBA fala sobre violência, armas e drogas, quase sempre em tom ameaçador.

Continua após a publicidade

(Com AFP)

Publicidade