Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Rainha envia mensagens a Trump com escolha de broches

Elizabeth II escolheu o broche usado pela mãe no velório de seu pai ao receber Trump e Melania para um chá no Castelo de Windsor

A rainha Elizabeth II, do Reino Unido, não dispensa os broches para compor seus modelos, mesmo que já esteja enfeitada com brincos grandes e colar. Os seus acessórios na lapela, porém, quase sempre enviam mensagens subliminares.

Foi o que aconteceu durante a visita do presidente Donald Trump a Londres, na semana passada, segundo o jornal britânico The Guardian. Elizabeth usou três broches diferentes durante os três dias de encontro com o americano. Cada um deles pareceu ter sido escolhido de forma criteriosa.

De acordo com o jornal, no primeiro dia, a monarca escolheu um broche verde simples, que foi dado a ela pela família de Barack Obama, o antecessor de Trump na Casa Branca, como símbolo de amizade. No segundo dia, a rainha usou outra peça, em forma de floco de neve, que recebera como presente oficial do Canadá – país no qual ela é a chefe de estado e com quem Trump não tem nutrido a melhor das relações nos últimos meses.

A rainha Elizabeth I,I durante encontro com o então presidente americano Barack Obama – 25/05/2011

A rainha Elizabeth I,I durante encontro com o então presidente americano Barack Obama – 25/05/2011 (Yui Mok/PA Images/Getty Images)

Por fim, na sexta-feira, 13, a rainha elegeu um broche que a sua mãe, Elizabeth, usara em 1950 no velório de seu pai, o rei George VI. O acessório pareceu expressar – ou pelo menos coincidiu com – o humor da monarca ao receber o presidente americano, atrasado, no Castelo de Windsor para um chá.

Segundo o usuário do Twitter @SamuraiKnitter, um dos primeiros a notar o possível significado dos broches, os acessórios de brilhantes não foram usados ao acaso, e sim para enviar uma mensagem a Trump.

Broches

A análise do The Guardian e dos usuários do Twitter pode parecer exagerada, mas a rainha Elizabeth II é, de fato, conhecida por escolher seus acessórios de acordo com os temas dos eventos aos quais comparece.

Na Cerimônia de Abertura do Parlamento, há um ano, ela usou um chapéu que guardava grande semelhança com a bandeira da União Europeia (UE). Enfeitado com flores de pétalas azuis e miolo amarelo, parecia trazer uma mensagem de insatisfação com a saída do Reino Unido do bloco europeu e com as pautas que deveriam dominar as sessões do Parlamento anos seguintes.

No casamento do príncipe Harry com Meghan Markle, em maio, a monarca usou um broche que fazia parte da coleção da Rainha Mary, sua avó, e que combinava com a tiara da noiva,  também extraída da mesma seleção de joias. Já no matrimônio do filho mais velho de George, príncipe William, em 2011, Elizabeth usara um broche que simbolizava o amor.

Gafes

A visita do presidente dos Estados Unidos ao Reino Unido ficou marcada por uma sucessão de gafes cometidas pelo americano. Trump e sua mulher, Melania, chegaram doze minutos atrasados para o encontro com a rainha Elizabeth no Castelo de Windsor.

A rainha, de 92 anos, esperou em pé e sob o sol. Demonstrando não estar nada satisfeita com o atraso, a britânica chegou a olhar para o relógio de pulso duas vezes enquanto esperava.

O momento mais constrangedor de todo o encontro aconteceu em seguida. Durante a inspeção da guarda real, o presidente andou na frente e atrapalhou o caminhar da monarca. Em determinado momento, a rainha fez um gesto para o americano, indicando que ele poderia caminhar. Mas ele passou na frente e, de repente, parou. Elizabeth, então, teve de contornar Trump.