Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Racismo e depressão: as revelações mais bombásticas de Meghan e Harry

Em entrevista com Oprah Winfrey, duquesa de Sussex admitiu que teve pensamentos suicidas quando estava na família real

Por Julia Braun 8 mar 2021, 10h40

A aguardada entrevista do príncipe Harry e Meghan Markle à apresentadora Oprah Winfrey foi ao ar nos Estados Unidos neste domingo 8. Durante a conversa de duas horas, o casal contou os verdadeiros motivos que os levaram a abandonar a vida real há cerca de um ano e fez revelações que devem balançar o Palácio de Buckingham como nunca.

O duque e a duquesa de Sussex falaram sobre seus relacionamentos com outros membros da realeza, racismo e como sua saúde mental foi prejudicada pelo seu período da corte. Confira as principais revelações da entrevista:

Racismo

Uma das maiores alegações feitas por Meghan, 39, é que houve “várias conversas” dentro da famíliar real sobre a cor da pele de seu primeiro filho com Harry, Archie, antes de seu nascimento. Segundo a atriz americana, o assunto foi discutido pela família diretamente com neto mais jovem da rainha Elizabeth II, que o relatou para ela.

“Naqueles meses, quando eu estava grávida, havia preocupações e conversas sobre o quão escura sua pele poderia ser quando ele nascesse”, disse Meghan. Ela e Harry, porém, se recusaram a dizer qual membro da realeza fez tais comentários.

Entretanto, o prícipe de 36 anos admitiu ter ficado magoado por sua família nunca ter discutido o “tom colonial” e o racismo com que Meghan foi tratada pela imprensa britânica. Logo após o nascimento do filho do casal Archie em maio do ano passado, um apresentador da emissora BBC postou no Twitter uma foto de um casal segurando um chimpanzé, sob o título “O bebê real deixou o hospital”.

Solidão e depressão

Outra revelação importante foi o sentimento de tristeza que contagiou Meghan em seus primeiros anos em Londres. A americana falou sobre como se sentiu solitária depois de entrar para a família real e de como sentia que havia perdido sua liberdade. Ela disse que sua saúde mental piorou tanto que chegou a ter pensamentos suicidas.

“Eu simplesmente não via uma solução. Eu ficava acordada à noite, eu não entendia como tudo isso estava acontecendo”, contou. A duquesa disse que isso a levou à beira do desespero. “Eu tinha muita vergonha de falar à época e vergonha de ter que admitir para Harry, especialmente, porque eu sei quantas perdas ele sofreu. Mas eu sabia que, se não falasse, eu faria, e eu simplesmente não queria mais estar viva”, afirmou. “Tudo estava acontecendo apenas porque eu estava respirando.”

A duquesa de Sussex disse que chegou a consultar a família real sobre ir a um médico e buscar ajuda, mas a possibilidade foi descartada. “Me disseram que não poderia, que isso não seria bom para a instituição”. Ela disse ainda que se dirigiu a “uma das pessoas mais importantes” dentro da família real e depois ao departamento de Recursos Humanos do palácio. “Nunca foi feito nada”, acrescentou ela.

Oprah, então, perguntou se Meghan “pensou em se machucar e em suicídio”. “Sim”, respondeu ela, relatando um espisódio específico em que pediu a Harry para acompanhá-lo em um evento simplesmente para não ficar sozinha. “Se você der um close na foto: a mão dele está grudada na minha”, disse Meghan, chorando, sobre as fotografias tiradas naquele dia. “Você não tem ideia do que se passa com as pessoas. Mesmo com quem está sorrindo, você tem de ter compaixão. Eu não queria admitir isso para o Harry. Ele já carrega o peso do mundo nas costas”, respondeu.

O príncipe Harry, por sua vez, se disse desesperado por ver a história se repetindo, mas afirmou não ter recebido nenhum tipo de ajuda. A mãe de Harry e William, a princesa Diana, morreu em um acidente de carro em Paris, em 1997, enquanto fugia de paparazzi.

Ele disse ter ficado apavorado quando Meghan disse a ele que não queria mais viver. “Eu não tinha ideia do que fazer”, afirmou. “Mas queria estar lá para ela.”

No início, Harry não disse à família que ela precisava de ajuda —não é uma conversa fácil em meio à realeza, contou. “Acho que tive vergonha de admitir isso a eles, não sei se eles tiveram os mesmos sentimentos ou pensamentos.”

Tentativas de silenciamento

Meghan ainda acusou a família real de tentar silenciá-la e não oferecer nenhum tipo de proteção diante dos ataques da imprensa e do que ela estava passando. “Eu sempre falei a respeito dos direitos das mulheres. Do direito de poder falar. E a ironia é que, nos últimos 4 anos, eu é que fui silenciada”, disse. “Eu fiz tudo o que me mandaram fazer. Eles disseram que iam me proteger. Meus amigos me ligavam e diziam: ‘Isso é sério. Isso é grave’. E eu dizia: ‘Não se preocupem. Eles vão me proteger. Depois que eu casei, comecei a perceber que eu não estava sendo protegida e que eles estavam mentindo para proteger outros membros da família”.

“Não vou viver minha vida com medo. Não sei como que eles podem esperar que depois de todo esse tempo iríamos ficar silenciosos se eles perpetuam mentiras a nosso respeito. Eu perdi meu pai, eu perdi um bebê. Já perdi tantas coisas, mas eu estou de pé. As pessoas têm de saber que existe outro lado e que a vida vale a pena ser vivida”, completou.

Título de Archie

Quando Harry e Meghan se casaram, a rainha Elizabeth deu ao casal os títulos de duque e duquesa de Sussex. No entanto, durante a sua gravidez, Meghan foi informada que o filho não receberia o título real de príncipe.

Continua após a publicidade

“Não tem explicação, não tem versão. Foi uma decisão que eles acharam que era apropriada”, contou. “Não é direito deles tirar isso. Durante a minha gravidez que eles resolveram mudar a convenção”, afirmou, ressaltando que o primeiro membro de cor da família real teve seu direito a um título negado.

Segundo a duquesa, o que mais a preocupou é que o filho não receberia a mesma segurança que os demais membros da realeza. “Se soubéssemos, a gente teria criado toda uma proteção em volta dele”, disse.

Meghan também recordou que, diferente do que manda a tradição, a família real não fez um retrato oficial de Archei com seus pais após o nascimento. “Não pediram para gente fazer a foto com o Archie como parte da tradição. Vocês podem dizer ao mundo que vocês tiraram o título dele e não nos pediram para fazer a foto”, desabafou.

O casamento real

Meghan disse que tentou fazer algo leve e divertido no dia de seu casamento, em 2018, mas que tanto ela quanto Harry sabiam que deveriam seguir os protocolos da realeza. “Todo mundo sabe que quando você casa, você casa com a família. Eu entrei nessa história inocentemente. Não fiz nenhuma pesquisa, nunca olhei nada a respeito do meu marido on-line”, afirmou ela, dizendo que não romantizou nada, pois por ser americana sabia pouco sobre a família real.

A duquesa revelou ainda que antes do casamento real, ela fez uma cerimônia íntima, só ela e Harry, no quintal de casa. “A gente queria nosso casamento para gente. Só a gente no nosso quintal”, contou.

Decepção com Charles

Harry foi questionado sobre seu relacionamento com sua família e especialmente com seu pai, o Príncipe de Gales, e o irmão, o Duque de Cambridge. O príncipe admitiu que após se afastar da realeza, Charles “parou de atender minhas ligações”.

“Eu me sinto muito decepcionado porque ele passou por algo semelhante, ele sabe o que é sentir dor, e Archie é seu neto. Mas, ao mesmo tempo, é claro que sempre o amarei, mas muitas mágoas surgiram. Continuarei a fazer disso uma das minhas prioridades: tentar curar esse relacionamento.”
Sobre William, Harry disse que o amava demais e que eles passaram juntos por um inferno. “Mas estávamos em caminhos diferentes.”

Meghan e Kate

Oprah questionou se os boatos de Meghan e Kate Middleton, mulher de príncipe William, não se davam bem eram verdadeiros. O principal deles começou com uma história de que a maericana teria feito a cunhada chorar durante os preparativos de seu casamento com Harry. Segundo Meghan, porém, foi a duquesa de Cambridge que acabou fazendo com que ela ficasse chateada devido aos vestidos das meninas que levariam as flores.

“Foi o contrário. Kate estava chateada com alguma coisa, mas me mandou flores e nos resolvemos. Foi um problema com as daminhas de honra no casamento. Ela me fez chorar, me magoou”, disse. “Não acho justo entrar nos detalhes porque ela me pediu desculpas e eu aceitei. Mas foi difícil ser culpada por algo que não fiz, as pessoas do castelo sabiam a verdade. Acho importante as pessoas saberem a verdade”, completou.

Meghan, porém, assegurou que Kate é “uma pessoa boa” e que muitas vezes as colocaram uma contra a outra. “Existe uma ideia de polaridade, que se você me ama, precisa odiá-la. Se você gosta de Kate, precisa me odiar”, revelou. “É uma narrativa de uma vilã e uma mocinha”.

Relação com a Rainha Elizabeth II

Harry disse que tem um relacionamento “muito bom” com sua avó e falou mais com ela no ano passado — incluindo ligações com vídeo com Archie — do que em muitos anos. “Ela é minha coronel-chefe, certo? Ela sempre será.”

Meghan também elogiou a rainha e revelou que a monarca lhe deu joias lindas para o primeiro noivado do casal, e compartilhou um cobertor para se aquecerem enquanto viajavam juntas. A atriz contou ainda que se surpreendeu na primeira vez em que a encontrou, pois não houve tanta formalidade como imaginava. “Foi amável, foi fácil. Eu tinha tantas coisas na minha cabeça. Eu cresci em Los Angeles. Eu via celebridades o tempo todo. Mas este é um jogo completamente diferente”.

Segundo filho

Em um momento mais leve da entrevista, o casal também conversou sobre seu segundo filho, que deve nascer no meio do ano. Os dois revelaram que estão esperando uma menina.

“É maravilhoso. Estou me sentindo grato. Ter um menino, uma menina, o que mais posso pedir? Agora temos a nossa família. Somos nós quatro e nossos dois cachorros”, disse Harry. “A bebê nasce no verão”, contou Meghan. O verão americano começa em 20 de junho.

O casal disse ainda que não pretende aumentar a família. “Dois e é isso”.

 

Continua após a publicidade
Publicidade