Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Quem matou Bin Laden? Ex-Seals dão relatos conflitantes

Um ex-marine presente na operação disse que os tiros fatais foram disparados por um ou dois homens que entraram no quarto de Bin Laden antes de O'Neill

Os membros do Seal – força especial da Marinha dos Estados Unidos – que participaram da operação que matou Osama bin Laden em seu esconderijo no Paquistão em maio de 2011 deram relatos conflitantes a respeito de quem de fato deu o tiro mortal no então líder da Al Qaeda. O jornal Washington Post publicou uma reportagem na quinta-feira na qual Rob O’Neill, um ex-Seal, alega ter disparado o tiro fatal que atingiu Bin Laden na testa com dois disparos após ter invadido um dos quartos da casa dele em Abbottabad.

O relato de O’Neill, que viaja pelos EUA dando palestras motivacionais, foi contestado por outro integrante dos Seals que também estava na operação em que Bin Laden foi morto. A fonte, falando sob a condição de anonimato, disse que os tiros fatais foram disparado por um ou dois homens que entraram no quarto antes de O’Neill. O Washington Post reporta que O’Neill reconheceu que ao menos outros dois soldados atiraram – e erraram – em Bin Laden, incluindo Matt Bissonnette, um ex-Seal que escreveu um livro em 2012 sobre a operação chamado ‘Não Há Dia Fácil: Um Líder da Tropa de Elite Americana Conta Como Mataram Osama Bin Laden‘.

Leia também

Militar que matou Bin Laden tem identidade revelada

Obama pedirá atualização de lei do 11/9 para ampliar ofensiva contra EI

“São duas pessoas diferentes contando duas histórias diferentes por duas razões diferentes. Qualquer coisa que O’Neill diga, é ele quem diz. Eu não quero tocar nisso”, disse Bissonnette à rede NBC News, sem confirmar nem desmentir a versão dada pelo jornal Washington Post. Segundo Jonathan Giliam, um ex-Seal que deu uma entrevista à CNN, a declaração de O’Neill pode ser muito apelativa para suas palestras motivacionais, que devem subir de preço, mas ele “pendurou um alvo em sua testa e colocou também sua família na mira dos jihadistas”. Giliam também criticou o fato de O’Neill e Bissonnette terem quebrado o pacto de confidencialidade existente entre os Seals, que mantêm uma tradição de sigilo de suas operações.

No ano passado, depois que a revista Esquire publicou uma entrevista com um membro anônimo dos Seals, posteriormente noticiado como sendo O’Neill, em que ele alegava ter atirado em Bin Laden, outros veículos de comunicação questionaram o relato. Um artigo intitulado “Quem realmente matou Bin Laden”, escrito por Peter Bergen, um analista da CNN e especialista na Al Qaeda, depois citou um Seal então ainda em serviço dizendo que a reportagem da Esquire era “pura mentira”.

O advogado de Bissonnette, Robert Luskin, reconheceu nesta quinta-feira que por algum tempo Bissonnette esteve sob investigação criminal tanto pelo Serviço de Investigação Criminal da Marinha com pelo Departamento do Justiça dos EUA, devido a possíveis violações da lei de espionagem, por não ter buscado autorização oficial antes de publicar seu livro. Bissonnette nega qualquer irregularidade.

(Com agência Reuters)