Clique e assine a partir de 9,90/mês

Quem era o general iraniano morto em ataque dos Estados Unidos

Qasem Soleimani era conhecido como um dos homens de maior poder no cenário do Irã

Por Da Redação - Atualizado em 3 jan 2020, 08h20 - Publicado em 3 jan 2020, 07h09

Qasem Soleimani, general morto em um ataque aéreo americano em Bagdá na noite de quinta (2), era conhecido como um dos homens de maior poder no cenário iraniano. O homem de 62 anos, de baixa estatura e comportamento silencioso, chefiava a unidade Quds, da Guarda Revolucionária, e era apontado como o mentor das estratégias militares do país.

Soleimani era próximo do líder supremo do Irã, o aiatolá Ali Khamenei. Ele sobreviveu a várias tentativas de assassinato nas últimas décadas. Sua morte deve aumentar ainda mais a tensão entre Irã, Iraque e Estados Unidos. Ao estender o alcance militar do país, em conflitos como os da Síria e do Iraque, passou a ser idolatrado por partidários iranianos. Para especialistas na região, ele tinha mais influência diplomática que o ministro das Relações Exteriores do Irã, Javad Zarif.

Na terça-feira, militantes pró-Irã invadiram uma parte da embaixada americana em Bagdá em represália a ataques aéreos dos EUA que deixaram 25 integrantes das milícias paramilitares mortos.

Em abril de 2019, os Estados Unidos designaram a Guarda Revolucionária do Irã como uma organização terrorista. Foi a primeira vez que Washington rotulou formalmente uma unidade militar de outro país como terrorista.

Continua após a publicidade

A Guarda Revolucionária Iraniana é uma organização criada após a Revolução Islâmica de 1979.

Publicidade