Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Quem é o general apontado em Moscou como possível sucessor de Putin

Sergey Shoigu atua como ministro da Defesa desde 2012

Por Ernesto Neves Atualizado em 16 set 2021, 17h53 - Publicado em 16 set 2021, 17h33

Desde que foi eleito para governar a Rússia primeira vez, em 2000, o presidente Vladmir Putin, traçou um bem planejado plano de perpetuação no poder.

Desde então, Putin neutralizou opositores, entre eles Alexei Navalny, que quase morreu envenenado e está preso numa penitenciária de segurança máxima, assim como alterou a constituição, anulando suas três presidências anteriores e a atual para estender suas chances de reeleição até 2030.

Ainda que não sofra nenhuma ameaça iminente ao seu poder, sua idade – Putin completa 69 anos no próximo dia 7 de outubro – e o surto de coronavírus entre funcionários do Kremlin esta semana, fizeram os círculos de poder de Moscou especular quem deverá sucedê-lo em caso de afastamento.

O nome mais cotado é o do general Sergey Shoigu, ministro da Defesa de Putin desde 2012.  Dentre os membros do gabinete, Shoigu é o mais popular, perdendo somente para o presidente. 

Shoigu nasceu na longínqua província de Tuva, um território na fronteira com a China em que se fala turco e a maioria da população segue o budismo. O lugar é bastante atrasado economicamente e tem ostenta algumas das maiores taxas de assassinatos e suicídios da Rússia. 

Continua após a publicidade

Analistas políticos consideravam Shoigu um liberal democrata até sua ascensão à Defesa, quase uma década atrás.

Desde então, ele passou a liderar algumas das principais empreitadas de Putin, incluindo a invasão da Ucrânia e a anexação da Criméia em 2014, e a manutenção do ditador Bashar al-Assad à frente da Síria. 

Putin escolheu Shoigu para ser garoto-propaganda do partido Rússia Unida nas eleições parlamentares programadas para acontecer no próximo domingo (19). Os candidatos da legenda, porém, têm enfrentado dificuldades para subir nas pesquisas. 

Shoigu também tem aparecido com frequência crescente na TV pescando o caçando ao lado de Putin. 

Mesmo assim, analistas com posição pró-Kremlin que ocupam espaço nos veículos de comunicação rejeitam apontar possíveis sucessores entre integrantes do governo.

A lista de sucessores, garantem, só será verdadeiramente conhecida depois quando Putin anunciar sua aposentadoria ou morrer.

Continua após a publicidade
Publicidade