Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Quem é a suposta amante de Putin que teria fugido para a Suíça

Alina Kabaeva foi uma das ginastas mais bem sucedidas da Rússia antes de se tornar política pró-governo e presidente da empresa de mídia estatal

Por Matheus Deccache Atualizado em 10 mar 2022, 13h46 - Publicado em 10 mar 2022, 13h42

A ex-ginasta e política russa, Alina Kabaeva, apontada como amante do presidente do país, Vladimir Putin, está supostamente escondida na Suíça com seus quatro filhos, diz o site americano Page Six

“Enquanto Putin realiza seu ataque à Ucrânia, atacando cidadãos inocentes e causando uma crise de refugiados, sua família está escondida em um chalé muito privado e muito seguro em algum lugar da Suíça, pelo menos por enquanto”, disse uma fonte anônima.

+ Metade da população de Kiev fugiu desde invasão russa, diz prefeito

Kabaeva, uma das mais bem sucedidas atletas de ginástica rítmica da história da Rússia, inclusive tendo ganhado um ouro olímpico, teria quatro filhos com o líder russo. Essa informação, contudo, nunca foi confirmada por nenhum dos dois. 

Fontes afirmam que o casal tem duas filhas gêmeas de 7 anos nascidas em Lugano, na Suíça, além de outros dois filhos. Putin, no entanto, já deixou claro em outras oportunidades o quanto desgosta de perguntas sobre sua vida pessoal.

“Tenho uma vida privada na qual não permito interferência. Sempre reagi negativamente àqueles que com seus narizes ranhosos e fantasias eróticas rondam a vida dos outros”, disse em outra oportunidade.

Oficialmente, o líder russo tem duas filhas adultas, Maria, de 36 anos, e Katerine, de 35, ambas de seu primeiro casamento com a ex-comissária de bordo Lyudmila Shkrebneva. Ele lutou frequentemente para mantê-las longe dos holofotes. 

Putin foi casado com Shkrebneva por três décadas até o divórcio, em 2013. A primeira filha, nasceu em Leningrado, em 1985, enquanto Katerine nasceu na Alemanha, um ano depois, quando a família se mudou para lá durante o tempo do presidente na KGB.

Alina Kabaeva, de 38 anos, é uma das ginastas mais condecoradas da história do esporte. Além do ouro olímpico, ganhou 14 medalhas em campeonatos mundiais e outras 21 em campeonatos europeus. Ela chegou a ser apelidada de “a mulher mais flexível da Rússia” e posou nua para uma revista masculina. 

Em 2008, um jornal russo anunciou o divórcio de Putin com sua esposa, alegando que ele estava prestes a se casar com Kabaeva. No entanto, a informação foi negada pelo Kremlin e o jornal foi fechado. No entanto, os boatos de uma possível relação não acabaram, inclusive com fontes afirmando que ambos se casaram em uma cerimônia ortodoxa russa privada.

Continua após a publicidade

Ao encerrar a carreira de ginasta, Kabaeva se tornou membro do Parlamento russo e foi aliada ao governo por oito anos, até ser nomeada pelo Kremlin para administrar a empresa estatal de mídia National Media Group (NMG), que lhe rendeu um salário de dez milhões de dólares anualmente.

Apesar do cargo de destaque, ela sempre se manteve longe dos holofotes e raramente é vista em público. Em 2013 e 2019, rolaram boatos de que teria dado à luz em hospitais na Suíça, embora Kabaeva afirme constantemente que nunca teve filhos.

+ Ucrânia: Reunião entre ministros termina sem progresso para cessar-fogo

Outro boato que cerca a suposta amante de Putin é a sua relação com a gigante do streaming Netflix. De acordo com a lei russa, para que uma empresa de mídia opere no país, é necessário que elas façam parcerias com um veículo local. Desse modo, para entrar em território russo, a Netflix precisou firmar uma parceria com a NGM, administrada na época por Kabaeva. 

Mesmo tendo anunciado que deixou o país devido aos conflitos com a Ucrânia, a gigante do streaming foi criticada por se aliar a regimes autoritários, principalmente pelo fato do Kremlin exigir que canais locais com apoio ao governo fossem exibidos na plataforma. 

A decisão de Putin em supostamente esconder sua família na Suíça pode ter sido equivocada pelo fato do país ter adotado uma postura dura contra a Rússia, saindo da neutralidade que já durava anos. 

Em 28 de fevereiro, o Conselho Federal Suíço congelou ativos de uma lista de empresas e oligarcas russos no país, observando que as sanções aplicadas contra o líder russo deveriam ser implementadas “imediatamente” em território nacional. 

Não está claro como essas sanções podem afetar Kabaeva e seus possíveis filhos, já que provavelmente todos têm passaporte suíços. Enquanto Putin permanece em silêncio sobre suas filhas, sua ex-esposa elogiou-o em um site do governo russo. 

“Nem todos os pais são tão amorosos com suas filhas quanto ele. E ele sempre as mimou enquanto eu precisava discipliná-las”, disse a ex-comissária. 

Antes dos boatos de que Kabaeva supostamente está na Suíça, o cientista político Valery Solovey, conhecido por suas teorias da conspiração, disse que o presidente escondeu sua família em um bunker de luxo de alta tecnologia na Sibéria, informação que não foi confirmada.

+ Zelensky condena ataque russo a maternidade: ‘Passou dos limites’

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)