Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Queda da poluição por quarentena revela paisagens em cidades pelo mundo

Na Índia, no Quênia e outros países, montanhas podem ser vistas no horizonte, e seus moradores respiram ar mais limpo, algo impossível em tempos normais

Por Da Redação Atualizado em 23 jun 2020, 16h27 - Publicado em 15 abr 2020, 13h48

As políticas de isolamento social e de quarentena incentivadas ou impostas devido à pandemia de Covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus, que já infectou cerca de dois milhões de pessoas no mundo e matou mais de 120.000, trouxeram resultados inesperados na paisagem de diversas cidades pelo mundo. Com a diminuição da atividade industrial e da circulação humana nas ruas, montanhas começaram a emergir no horizonte em lugares onde a poluição, até então, criava uma cortina cinza de gás carbônico.

A Índia, um dos países com maiores índices de poluição do mundo, colocou sob quarentena mais de 1,3 bilhões de pessoas. O resultado da quarentena pode ser visto no céu e nos melhores índices de qualidade do ar. Na capital Nova Delhi, apesar de ainda haver um tom cinza no céu, os moradores puderam respirar um ar mais limpo.

Já no norte do país, os moradores da cidade de Jalandhar amanheceram no dia 3 de abril com uma rara visão que antes ocorria somente após a chuva: sem esforço algum e dos telhados de suas casas, as pessoas puderam avistar a cadeia de montanhas Dhauladhar. Trata-se de uma perspectiva, em geral, contada pelos avós.

A cadeia de montanhas Dhauladhar pode ser vista do telhado das casas na cidade de Jalandhar, Índia, com a diminuição nos índices de poluição – 03/04/2020 Pardeep Pandit/Getty Images

Em Nairobi, capital do Quênia, um fotógrafo capturou a imagem do Monte Quênia de dentro da cidade, o que antes seria impossível. “De vez em quando eu vejo o Monte Quênia nas manhãs, ele quase nunca está nítido e não vale uma fotografia, mas nesta manhã ele estava vívido e bem difícil de passar despercebido”, escreveu Osman Siddiqi em sua conta no Instagram. “Esta foto é uma prova do que podemos estar perdendo com a natureza.”

View this post on Instagram

Continua após a publicidade

Shot of #MtKenya taken from #Nairobi. Mt #Kenya is about 140KM away. The photo is a testament to what we might be missing out on with nature. I sometimes spot Mt Kenya in the mornings. More often than not it's not very sharp and not worth a photo. This morning it was vivid and quite hard to avoid. I took the shot and it sat in my DSLR for about a couple of weeks. The reduced pollution from curfews and social distancing probably made the view so much clearer. It really begs us the question, what Nairobi do we want to emerge from the crisis? Imagine if seeing the imperious Mt Kenya was much more commonplace in Nairobi. It is sad that it is rare, but I do hope we fight for a cleaner city going forward. Check out the evening shot of the same view here https://www.instagram.com/p/B_C7XhpH8XZ/?igshid=f20pfljybbw8 Some quick facts and myth-busting: 1) The shot was *not* taken from Westlands. This is from Kilimani near Dennis Pritt rd. 2) It's a zoom lens. One Africa place is a few km away from my place. 3) Mt Kenya is visible from a few vantage points in the city. 4) Most importantly, this isn't photoshopped. It has some light touches on contrast and vignetting. But this is real. This is Nairobi. Media Coverage: 1. NPR, Eyder Peralta, "Roundup: What The Coronavirus Response Looks Like In France, Kenya And Brazil" https://tinyurl.com/y742ut4h 2. NPR, Eyder Peralta, "From Nairobi, A Rare, Clear Glimpse Of Mount Kenya Drives Disbelief On Social Media" https://tinyurl.com/ycc34bd6, NPR, Eyder Peralta 3. New York Times, "Lockdown pollution levels reveal mountain peaks in Kenya" https://tinyurl.com/ybsy44ol 4. Washington Post, "Lockdown in Kenya clears skies, revealing a dramatic mountain view" https://tinyurl.com/y94wk7ab 5. Quartz, Hope Corrigan, "Clear skies and roaming wildlife abound in some of the world’s most populated places" https://tinyurl.com/yass3s4o PM2.5 @ 11.3 . . . . #landscapephotography #naturephotography #mountains #african #cityscape #rarebeauty #skyscraper #dslrphotography #unexpected #travelkenya #travelphotography #urbannature #nikon

A post shared by Osman Siddiqi (@osmsiddiqi) on

Um dos países mais impactados pela Covid-19, os céus da Itália também se beneficiaram. Mas foi em Veneza, uma das cidades turísticas mais movimentadas no mundo, que a mudança foi mais aparente. Com as gondolas atracadas e a menor movimentação, as águas dos canais estão calmas e menos turvas. Golfinhos, cisnes e cardumes voltaram a circular. A Praça de São Marcos, antes lotada de pessoas, está vazia. A impressão é a de uma cidade fantasma.

Vista aérea da Praça São Marcos, em Veneza, sem turísticas e com as águas dos canais mais limpas – 10/04/2020 Nicolò Campo/Getty Images

Apesar de a pandemia ter trazido de volta paisagens raras devido à diminuição da poluição, o vírus deixa um rastro de destruição por onde passa. Ao todo, a doença já infectou 2.000.984 de pessoas e, delas, matou 128.071. O pior cenário continua a ser registrado nos Estados Unidos, que conta com 609.696 infectados e 26.059 mortes.

Continua após a publicidade
Publicidade