Clique e assine a partir de 9,90/mês

Quatro cartões-postais no mundo que voltaram a receber visitantes

Nada mais significativo para marcar o início do fim do calvário da Itália com a Covid-19 do que a reabertura da Basílica de São Pedro

Por Da Redação - Atualizado em 22 maio 2020, 12h04 - Publicado em 22 maio 2020, 06h00

- Basílica de São Pedro (foto), Itália
Nada mais significativo para marcar o início do fim do calvário da Itália com a Covid-19 do que a reabertura da Basílica de São Pedro no último dia 18. O local encontrava-se fechado desde março. Na volta às atividades, celebrada com uma missa do papa Francisco, um forte esquema de segurança acompanhou o fluxo de visitantes, que são submetidos à medição de temperatura na entrada. O uso de máscara é obrigatório, assim como a necessidade de respeitar uma distância mínima de 2 metros uns dos outros.

- Acrópole, Grécia
Os sítios arqueológicos do país ficaram fechados por dois meses devido à pandemia. Na segunda passada, 18, o governo local, em uma cerimônia com a presença da presidente Katerina Sakellaropoulou, voltou a liberar o acesso à colina da Acrópole, onde fica o Parthenon, o famoso monumento da Antiguidade.

- New Orleans, Estados Unidos
Conhecida pela agitação noturna e pela grande cena musical, a cidade, que é uma das que mais recebem turistas no país, sofreu uma temporada com festivais de música cancelados e o comércio fechado. O retorno às atividades ocorreu no dia 16, mas alguns hotéis e bares da mítica Bourbon Street ainda não se animaram a abrir as portas.

- Torre de Belém, Lisboa
Um dos principais cartões-postais da capital portuguesa, o monumento foi reaberto no último dia 18. A administração do local permite o acesso de apenas dez pessoas por vez, e a circulação está restrita à parte mais baixa da estrutura. O piso superior da torre continua fechado, pois ainda não foi possível garantir um esquema seguro de higienização do lugar.

Publicado em VEJA de 27 de maio de 2020, edição nº 2688

Publicidade