Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

‘Quando atacam a Espanha, atacam a UE’, diz bloco

Vice-presidente da Comissão Europeia critica expropriação da Repsol YPF

A vice-presidente da Comisão Europeia, Viviane Reding, disse nesta quinta-feira que ‘quem ataca a Espanha, ataca a União Europeia (UE)’, em referência à expropriação da Repsol YPF pelo governo argentino. Na segunda-feira, a presidente da Argentina, Cristina Kirchner, anunciou a desapropriação de 51% do patrimônio da companhia petrolífera YPF, controlada pela espanhola Repsol. No mesmo dia, o governo expulsou os diretores da empresa e tomou conta do local.

Em resposta, o presidente da Espanha, Mariano Rajoy, expressou mal-estar com a situação e disse que buscaria apoio na UE – o que veio na quarta-feira, quando o Parlamento Europeu anunciou que está finalizando uma resolução que suspende parcialmente as vantagens tarifárias que concede ao país. “Não vamos deixar a Espanha sozinha nesta época tão difícil, e vamos ajudá-la a encontrar uma solução baseada no direito internacional”, disse Viviane.

Leia também

Espanha anuncia que tomará medidas ‘contundentes’ contra Argentina

Senado argentino apoia nacionalização da YPF

“Não se pode tomar a propriedade de outro sem uma substituição ou reposição de bens. E nós vamos ajudar a Espanha a resolver este problema”, disse Viviane à Televisão Espanhola (TVE). Segundo ela, as normas do comércio internacional são ‘muito claras’ sobre esse tipo de situação, e exigem um acordo entre os países diretamente implicados.

Viviane defendeu as reações europeias perante a expropriação da Repsol, bem como as palavras do presidente do executivo da UE, José Manuel Durão Barroso, que disse estar ‘seriamente decepcionado’ com o anúncio. Reuniões e missões comerciais para a Argentina foram canceladas nesta semana após o anúncio de Cristina.