Clique e assine a partir de 9,90/mês

Pyongyang culpa Seul por fechamento do projeto conjunto

Fim da cooperação no complexo de Kaesong foi culpa do Sul, disse o Norte

Por Da Redação - 5 May 2013, 10h50

A Coreia do Norte divulgou um comunicado neste domingo responsabilizando a Coreia do Sul pelo fechamento do complexo industrial de Kaesong e afirmou que Seul deve “frear suas hostilidades e provocações militares” se quiser que essas instalações voltem a operar no futuro. A mensagem foi divulgada pela agência de notícias estatal norte-coreana KCNA. Na sexta-feira, os últimos sul-coreanos abandonaram o complexo, situado em território norte-coreano. A mensagem deste domingo, atribuída a um representante da Comissão Nacional de Defesa em Pyongyang, também criticou a chegada do porta-aviões de propulsão nuclear americano USS Nimitz ao porto sul-coreano de Busan, na próxima sexta. Segundo as autoridades locais, o navio participará de exercícios militares conjuntos entre EUA e Coreia do Sul. Apesar da manutenção da retórica agressiva do Norte, uma fonte do Exército sul-coreano disse também neste domingo que Pyongyang parece ter colocado um freio em seus próprios exercícios militares nas últimas semanas.

Leia também:

Leia também: Coreia do Norte condena americano a trabalhos forçados

A libertação dos últimos sete trabalhadores sul-coreanos que permaneciam presos no complexo industrial de Kaesong aconteceu depois que as duas Coreias chegaram a um acordo financeiro. Segundo o Ministério de Unificação da Coreia do Sul, os sete trabalhadores cruzaram a fronteira depois de resolvidas questões de pagamentos e impostos que companhias sul-coreanas deviam a Pyongyang. As empresas deviam um total de 7,3 milhões que não foram pagos em março, em meio às tensões na península. A Coreia do Sul enviou um veículo com o dinheiro como parte do acordo. Seul queria retirar produtos deixados no complexo, que teve as atividades suspensas pelo Norte de forma inesperada no começo de abril, mas Pyongyang não permitiu o acesso. O complexo, localizado na Coreia do Norte, abrigava 123 empresas sul-coreanas que utilizavam a mão de obra barata dos norte-coreanos. O complexo de Kaesong era o último elo de ligação entre as duas Coreias, que ficaram em estado iminente de guerra entre março e abril.

Continua após a publicidade

(Com agência EFE)

Publicidade