Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Pyongyang critica Japão por não oferecer condolências pela morte de Kim

Por Da Redação - 3 jan 2012, 08h52

Tóquio, 3 jan (EFE).- A Coreia do Norte criticou nesta terça-feira o Governo do Japão por não ter oferecido condolências ao país comunista após a morte de Kim Jong-il, em uma nota divulgada pela agência ‘KCNA’.

De acordo com o comunicado, enviado à agência japonesa ‘Kyodo’, a resposta ‘hostil’ do Japão tornou a relação entre os dois países ‘mais sombria’.

Este foi o primeiro comentário do Governo da Coreia do Norte sobre Tóquio desde o anúncio da morte de Kim Jong-il em 17 de dezembro, aos 69 anos de infarto do miocárdio.

A carta também critica o Executivo japonês por ter impedido que simpatizantes do regime totalitário residentes no Japão visitassem Pyongyang para dar os pêsames pela morte do ditador, que governou a Coreia do Norte com mão de ferro por 17 anos.

Publicidade

Após o anúncio da morte de Kim, o Governo japonês informou aos representantes da Associação Geral de Residentes Coreanos no Japão, conhecida como Chongryon, que não iria permitir o retorno dos partidários comunistas a Pyongyang.

A Chongryon atua como uma embaixada norte-coreana no Japão e é formada por ‘zainichi’ ou coreanos que vivem no Japão desde o início da colonização nipônica na península coreana (1910-1945).

A maioria dos integrantes nasceu no Japão, mas se nega a adotar a nacionalidade japonesa, por isso o Executivo deste país estabeleceu que em caso de pisarem na Coreia do Norte serão automaticamente considerados cidadãos coreanos e impedidos de voltar à ilha. EFE

Publicidade