Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Putin: Ucrânia pratica ‘crime’ contra rebeldes e terá resposta

Presidente russo falou em 'consequências' para quem ordenou operação militar iniciada hoje no leste da Ucrânia e para relações bilaterais russo-ucranianas

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, advertiu nesta quinta-feira as autoridades do governo interino da Ucrânia de que as operações militares “antiterroristas” no leste do país, deflagradas contra rebeldes separatistas, terão consequências tanto para os que as ordenaram como para as relações bilaterais russo-ucranianas.

“A operação punitiva terá clara consequências para as pessoas que tomaram essa decisão, e também para as relações entre os dois Estados’, disse Putin ao comentar a operação antiterrorista lançada nesta quinta-feira na cidade de Slaviansk, tomada pelos rebeldes e onde ao menos cinco “terroristas” morreram em combate, segundo a Ucrânia.

Leia também:

Ucrânia informa a morte de ‘cinco terroristas’ em Slaviansk​

Fotos apontam presença de russos em invasões na Ucrânia

EUA pedem ‘medidas concretas’ à Rússia para reduzir tensão na Ucrânia

Putin também chamou as ações contra separatistas pró-Rússia de “crime muito grave”. O líder do Kremlin afirmou que “se realmente o atual regime de Kiev começou a empregar o Exército contra a população em seu próprio país, trata-se sem dúvida de um crime muito grave contra seu próprio povo”.

“Já veremos como se desenvolvem os eventos”, disse Putin, que em março pediu e obteve a autorização do Senado para empregar as Forças Armadas russas no território da Ucrânia. O presidente acrescentou que se forem confirmadas as informações sobre o ataque das forças especiais ucranianas a Slaviansk, controlada pelos milicianos armados pró-Rússia, o governo ucraniano poderá ser chamado de “junta” e “panelinha”.

Bastião rebelde – Slaviansk, com cerca de 120.000 habitantes, é o bastião da sublevação pró-Rússia contra o governo de Kiev, que eclodiu há quase três semanas nas regiões do leste da Ucrânia, onde a maioria da população fala russo.

“Estamos cercados. Temos força suficiente para oferecer resistência”, assegurou em declarações ao canal russo Rossiya 24 o autoproclamado prefeito de Slaviansk e líder das milícias populares locais, Viacheslav Ponomariov.

Segundo Ponomariov, duas colunas de blindados estão a poucos quilômetros da cidade, enquanto um correspondente do Rossiya 24 informou que vários encouraçados já entraram em Slaviansk.

O governo ucraniano anunciou nesta quarta que retomaria a operação antiterrorista contra as formações armadas ilegais no sudeste do país. A decisão foi adotada pelo presidente interino da Ucrânia, Aleksandr Turchinov, depois de serem encontrados em Slaviansk o corpo do vereador de Gorlovka – situada entre as cidades de Donetsk e Slaviansk – Vladimir Ribak, que pertencia ao partido Pátria, o mesmo da ex-premiê Yulia Tymoshenko e a maior formação da coalizão que governa em Kiev.

Vídeo – O vereador ucraniano foi encontrado morto com sinais de tortura no fim de semana. Ele hostilizado por uma multidão de militantes pró-Rússia antes de desaparecer, mostraram imagens de um vídeo revelado nesta quarta.

O assassinato de Vladimir Rybak e de outro homem levou a Ucrânia a anunciar a retomada da ofensiva contra militantes separatistas que tomaram prédios públicos no leste do país. As operações militares haviam sido interrompidas durante a Páscoa. O serviço de segurança da Ucrânia disse que um policial e um membro da inteligência militar da Rússia estão envolvidos no assassinato de Rybak.

As imagens feitas em 17 de abril por um site local de notícias mostram cenas de fúria diante da prefeitura de Gorlovka, onde há forte exaltação separatista. Nelas, Rybak é maltratado por vários homens, entre eles um mascarado em roupa camuflada, enquanto outros proferem insultos.

(Com agência EFE)

Entenda a atual situação dos conflitos nas cidades ao leste da Ucrânia: