Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

Putin prende mais de mil russos que se manifestavam contra a guerra

Protestos que pediam o fim da invasão da Ucrânia foram rapidamente contidos pela força policial em 44 cidades

Por Duda Gomes 24 fev 2022, 18h23

Em resposta aos ataques da Rússia à Ucrânia, milhares de manifestantes russos tomaram as ruas das principais cidades do país contra a invasão. Aproximadamente 1 300 pessoas foram presas, de acordo com o grupo de direitos humanos OVD Info. Foram relatados protestos em 44 cidades.

Só em Moscou, mais de 600 manifestantes foram detidos. A polícia bloqueou o acesso à Praça Pushkinskaya, no centro da capital, ordenando que pequenos grupos deixassem a área, depois que ativistas chamaram as pessoas para protestarem lá.

Ao redor da praça, centenas de manifestantes gritavam “não à guerra”, carregando bandeiras da Ucrânia.

Vídeos mostram policiais russos usando capacetes e atingindo e empurrando manifestantes para o chão com uso da força.

Em São Petersburgo, policiais de choque cercaram mais de 170 pessoas que foram à Nevsky Prospekt, a principal via da cidade. Em Yekaterinburg, uma grande cidade nos Montes Urais, os ativistas pediam o fim da guerra em frente a um monumento a Lenin.

Figuras públicas e celebridades russas também se manifestaram publicamente contra o ataque. O rapper mais popular da Rússia, Oxxxymiron, pediu a criação de um movimento antiguerra no país.

“Sei que a maioria das pessoas na Rússia é contra esta guerra e estou confiante de que quanto mais pessoas falarem sobre sua verdadeira atitude em relação a ela, mais rápido poderemos parar esse horror”, disse o rapper, em comunicado no Instagram.

O presidente russo, Vladimir Putin, autorizou os ataques militares à Ucrânia na madrugada desta quinta-feira, 24. Até o momento, 57 ucranianos morreram e 169 ficaram feridos.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)