Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Putin convida Kim-Jong-un para visitá-lo na Rússia

Pode ser a primeira visita pública do ditador norte-coreano a um outro país

Difícil imaginar uma reunião com pessoas menos populares. O presidente russo, Vladimir Putin, convidou o ditador norte-coreano, Kim Jong-Un, para visitar Moscou e assistir às celebrações, em 2015, do 70º aniversário da vitória na Segunda Guerra Mundial, informaram as agências russas nesta sexta-feira.

“Sim, o convite foi enviado”, declarou o porta-voz de Putin, Dimitri Peskov. Se a visita acontecer, essa será a primeira vez que o jovem ditador norte-coreano realizará uma viagem pública ao exterior.

O convite chega num momento particularmente espinhoso tanto para Putin quanto para Kim. O presidente russo virou um pária internacional por causa das suas ações na Ucrânia e enfrenta uma tempestade econômica que vem derrubando o valor do rublo. Já o governo de Kim está no centro das acusações do cibertataque ao estúdio Sony.

eia também:

Première de ‘A Entrevista’ é cancelada após ameaça de hackers

Coreia do Norte nega ter atacado site da Sony, mas celebra ação de hackers

​Hackers prometem ‘grande bomba’ da Sony até o Natal

Rússia diz que França deve devolver dinheiro caso não entregue navios​

Apesar do tom do convite parecer uma provocação ao Ocidente, o jornal britânico The Guardian afirma que interesses mais pragmáticos estão em jogo. A Rússia quer se aproximar dos norte-coreanos para promover a construção de um gasoduto no território do país asiático com o objetivo de vender energia para seus ricos vizinhos sul-coreanos.

Já Pyongyang busca fazer uso da influência da Rússia no Conselho de Segurança das Nações Unidas para bloquear qualquer iniciativa contra o regime comunista, acusado de violar direitos humanos.

A Rússia é um dos poucos aliados da Coreia do Norte, junto com a China. O falecido ditador norte-coreano Kim Jong-Il visitou Moscou em 2011 em seu trem pessoal, para uma rara reunião com o então presidente russo, Dimitri Medvedev.

(Com agência France-Presse)