Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Pussy Riot diz que duas de suas integrantes fugiram do país

Elas são procuradas pela polícia por participação em 'oração punk' na catedral moscovita - ao lado das outras três jovens condenadas a dois anos de prisão

O grupo punk feminino russo Pussy Riot anunciou neste domingo que as duas de suas integrantes procuradas pela polícia não estão mais na Rússia. “Duas de nossas integrantes abandonaram o país por estarem sendo perseguidas”, afirmou o grupo em sua conta no Twitter. Pouco depois, um novo post do grupo no microblog advertiu, por outro lado, que “pelo menos 12 das integrantes do Pussy Riot permanecem na Rússia”.

Leia também:

Leia também: De Billie Holiday a Pussy Riot, no front das canções de protesto

Nesta quinta-feira, a polícia russa anunciou ter lançado uma operação para capturar duas integrantes não identificadas do Pussy Riot das cinco que encenaram em fevereiro uma “oração punk” na catedral moscovita de Cristo Salvador contra o presidente russo, Vladimir Putin. Após a ação, a polícia deteve três integrantes do grupo, Nadezhda Tolokónnikova, Yekaterina Samutsévich e María Aliójina, que no último dia 17 foram condenadas a dois anos de prisão.

As integrantes do Pussy Riot foram declaradas culpadas do crime de “vandalismo motivado por ódio religioso”. A condenação das três componentes do grupo punk causou uma inundação de críticas internacionais, tanto por parte das chancelarias ocidentais, como de estrelas da música.

Leia também:

Leia também: ‘Sentença do Pussy Riot foi excessiva’, afirma assessor russo

(Com agência EFE)