Promotor que investigava grupo racista é morto nos EUA

Mark Hasse, de 57 anos, foi assassinado a tiros quando chegava a tribunal

Por Da Redação - 1 fev 2013, 08h52

Um promotor americano que estaria investigando um grupo criminoso e racista de supremacia branca, a Irmandade Ariana, foi morto a tiros na quinta-feira, próximo a um tribunal em uma pequena cidade do estado do Texas, informaram nesta sexta autoridades locais. Na agenda de Hasse, estavam incluídas as investigações de membros da Irmandade Ariana, apesar de que os promotores costumam assumir cerca de 400 casos, segundo a imprensa local.

O assistente de promotoria do Condado de Kaufman Mark Hasse, de 57 anos, caminhava em direção ao tribunal depois de estacionar seu carro quando um suspeito se aproximou e atirou várias vezes, segundo Pat Laney, porta-voz do gabinete do xerife local. Laney disse que o suspeito fugiu com um cúmplice em um carro depois do crime, que ocorreu por volta de 8h30 no horário local (12h30 de Brasília) no povoado de Kaufman, no norte do Texas..

“Estamos atrás deles”, afirmou Laney ao destacar que os suspeitos ainda não haviam sido identificados. O tribunal de justiça e as escolas do povoado tiveram suas atividades suspensas, enquanto a polícia procurava os homens armados e seu veículo em Kaufman, com apenas 7.000 habitantes.

(Com agência France-Presse)

Publicidade