Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Projéteis caem no centro de Damasco durante dia de votação

Mesmo com explosões e clima de tensão, grande número de eleitores compareceu às urnas na capital síria, foco de apoio ao ditador Bashar Assad

Vários projéteis atingiram nesta terça-feira, dia de votação das eleições presidenciais, diferentes áreas do centro de Damasco, capital da Síria. Não há informações sobre vítimas até o momento, reporta a rede CNN. Os foguetes caíram nas áreas dos Abasies, Al Qasa, Adaui e Bab Toma. Alguns projéteis também atingiram o distrito de Al Meze, causando danos em uma estrada que cruza o local. As eleições sírias são consideradas pela oposição e pelo Ocidente como um teatro encenado para dar “legitimidade” ao regime ditatorial de Bashar Assad, que governa o país desde 2000.

O Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH) acrescentou que ataques similares aconteceram em Al Gasani e Al Mazraa, nas cercanias da capital. Apesar dos ataques, da forte presença militar nas ruas e do clima de tensão, um grande número de eleitores compareceu às urnas no começo da manhã na capital. A cidade de Damasco abriga o principal reduto de apoio a Assad. Quase 16 milhões de sírios estão credenciados a votar nas 9.601 seções eleitorais dispostas pelas autoridades, das quais 1.563 estão na capital. O governo reforçou a segurança para manter a ordem durante o pleito e aumentou os postos de controle para evitar ações de sabotagem e a infiltração de “terroristas” – como o regime classifica as forças rebeldes que tentam derrubar o governo – em Damasco e outras regiões centrais.

Leia também

Em guerra civil, Síria inicia eleição presidencial de fachada

Ataques se intensificam antes de eleição na Síria

Conflitos na Síria deixaram 162 mil mortos, segundo organização

As eleições são as primeiras com mais de um candidato há cinquenta anos. Assad concorre a um terceiro mandato de sete anos, junto com o deputado da “oposição tolerada”, que tem o consentimento do governo, Maher Abdel Hafez Hayar e o ex-ministro Hassan Abdullah al Nouri. A Presidência síria avisou que os cidadãos do país poderão votar “com total liberdade, transparência e responsabilidade” – um mero jogo de cena diante da vitória certa de Assad.

Assad votou na escola Martir Naeem Muasiri, no bairro de Al Malaki em Damasco, informou a televisão oficial síria. Segundo fotografias divulgadas pela imprensa pró-governo, o ditador votou acompanhado de sua esposa Asmaa. Em uma das imagens, Assad, vestido com um terno azul, aparece sorridente depositando sua cédula na urna, ao lado de Asmaa, que vestia jaqueta branca e saia preta. Os dois votaram cercados por eleitores que estavam no colégio e alguns deles fotografaram o casal presidencial com seus celulares. (Continue lendo o texto)

Guerra civil – As eleições acontecem no meio da guerra civil no país, que já entrou em seu quarto ano e deixou mais de 162.000 mortes. A votação acontecerá somente nas áreas controladas pelas autoridades nas províncias. A única onde não haverá urnas é Al Raqqah, no norte do país, que está sob domínio do grupo radical Estado Islâmico do Iraque e do Levante (EIIL).

(Com agência EFE)