Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Professores de escola na Flórida morreram após salvar alunos

O técnico de futebol americano Aaron Feis e o professor de geografia Scott Beigel são considerados heróis da tragédia

Dois professores da escola Marjory Stoneman Douglas estão sendo considerados heróis após morrerem tentando proteger seus alunos durante o tiroteio que deixou 17 vítimas na última quarta-feira em Parkland, na Flórida.

Aaron Feis, técnico de futebol americano, e Scott Beigel, professor de geografia, estavam entre os docentes mais queridos da escola. Segundo a imprensa americana, os dois foram baleados na quarta-feira ao tentar proteger as crianças e adolescentes do Stoneman Douglas High School do atirador que invadiu o local.

Além de assistente do time de futebol, Feis, 37 anos, também atuava como segurança e era ex-aluno do colégio. Segundo a emissora CNN, assim que percebeu o que estava acontecendo, o treinador agiu instintivamente e quando o atirador se aproximou usou seu corpo como escudo para proteger seus alunos.

Feis foi baleado e levado a um hospital nas proximidades da escola, mas não resistiu aos ferimentos. A notícia foi divulgada pela equipe de futebol de Stonemen Douglas, nesta quinta-feira. “É com grande tristeza que a nossa família do futebol soube da morte de Aaron Feis. Ele era nosso treinador assistente e guarda. Ele se colocou como escudo para os estudantes contra o atirador quando foi baleado. Ele morreu como um herói e estará para sempre nos nossos corações e memórias”, diz a publicação no Twitter.

Scott Beigel, 35, também morreu tentando proteger seus alunos. Segundo testemunhas, o professor de geografia abrigou estudantes que corriam pelos corredores da escola em sua sala de aula, mas antes de poder fechar a porta foi baleado.

“Estou viva por causa dele”, afirmou a aluna Kelsey Friend à CNN. “Ele destrancou a porta e nos deixou entrar. Pensei que ele estava atrás de mim, mas não estava. Depois de abrir a porta teve que trancá-la novamente para que pudéssemos ficar seguros, mas ele não teve essa chance”, relatou.

“Eu e meus amigos sentiremos muita falta dele, seu nome viverá para sempre comigo”, acrescentou.

Vítimas

Além de Feis e Beigel, outras vítimas do tiroteio já foram identificadas. Entre elas está outro treinador da escola, Chris Hixon, professor de luta livre.

As estudantes Jaime Guttenberg e Gina Montalto também estão entre as vítimas. As duas eram amigas e participavam do grupo The Friendship Initiative, uma organização de caridade que atendia crianças com necessidades especiais.

A morte dos alunos Martin Duque, de 14, anos, e Alyssa Alhadeff também foram confirmadas por familiares.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Lembro-me dos comentários jornalísticos feitos na época da tragédia que envolveu o avião da TAM que, por falha em um dos reversores que foi acionado na decolagem, ceifou a vida de 96 almas. Diziam que durante os fatídicos 24 segundos que antecederam a queda o piloto, bravamente, notou uma escola em seu caminho e heroicamente conseguiu desviar o avião, revertendo assim uma tragédia ainda maior. Precisamos sempre de heróis em tragédias como estas, mesmo que… deixa pra lá.

    Curtir