Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Professores de escola na Flórida morreram após salvar alunos

O técnico de futebol americano Aaron Feis e o professor de geografia Scott Beigel são considerados heróis da tragédia

Por Da redação 15 fev 2018, 18h18

Dois professores da escola Marjory Stoneman Douglas estão sendo considerados heróis após morrerem tentando proteger seus alunos durante o tiroteio que deixou 17 vítimas na última quarta-feira em Parkland, na Flórida.

Aaron Feis, técnico de futebol americano, e Scott Beigel, professor de geografia, estavam entre os docentes mais queridos da escola. Segundo a imprensa americana, os dois foram baleados na quarta-feira ao tentar proteger as crianças e adolescentes do Stoneman Douglas High School do atirador que invadiu o local.

Além de assistente do time de futebol, Feis, 37 anos, também atuava como segurança e era ex-aluno do colégio. Segundo a emissora CNN, assim que percebeu o que estava acontecendo, o treinador agiu instintivamente e quando o atirador se aproximou usou seu corpo como escudo para proteger seus alunos.

Feis foi baleado e levado a um hospital nas proximidades da escola, mas não resistiu aos ferimentos. A notícia foi divulgada pela equipe de futebol de Stonemen Douglas, nesta quinta-feira. “É com grande tristeza que a nossa família do futebol soube da morte de Aaron Feis. Ele era nosso treinador assistente e guarda. Ele se colocou como escudo para os estudantes contra o atirador quando foi baleado. Ele morreu como um herói e estará para sempre nos nossos corações e memórias”, diz a publicação no Twitter.

Continua após a publicidade
  • Scott Beigel, 35, também morreu tentando proteger seus alunos. Segundo testemunhas, o professor de geografia abrigou estudantes que corriam pelos corredores da escola em sua sala de aula, mas antes de poder fechar a porta foi baleado.

    “Estou viva por causa dele”, afirmou a aluna Kelsey Friend à CNN. “Ele destrancou a porta e nos deixou entrar. Pensei que ele estava atrás de mim, mas não estava. Depois de abrir a porta teve que trancá-la novamente para que pudéssemos ficar seguros, mas ele não teve essa chance”, relatou.

    “Eu e meus amigos sentiremos muita falta dele, seu nome viverá para sempre comigo”, acrescentou.

    Vítimas

    Além de Feis e Beigel, outras vítimas do tiroteio já foram identificadas. Entre elas está outro treinador da escola, Chris Hixon, professor de luta livre.

    As estudantes Jaime Guttenberg e Gina Montalto também estão entre as vítimas. As duas eram amigas e participavam do grupo The Friendship Initiative, uma organização de caridade que atendia crianças com necessidades especiais.

    A morte dos alunos Martin Duque, de 14, anos, e Alyssa Alhadeff também foram confirmadas por familiares.

    https://www.instagram.com/p/BfNbqvJlUBj/?utm_source=ig_embed

    Continua após a publicidade
    Publicidade