Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

Procurador do TPI visita Ucrânia e diz que país é ‘uma cena de crime’

Autoridade investiga possíveis crimes de guerra cometidas por tropas russas, sobretudo após relevações em Bucha

Por Duda Gomes Atualizado em 14 abr 2022, 17h09 - Publicado em 14 abr 2022, 17h08

Em visita à Ucrânia nesta semana para investigar acusações de supostos crimes de guerra cometidos por tropas russas, o procurador-chefe do Tribunal Penal Internacional (TPI), Karim Khan, passou pelas cidades de Bucha e Borodyanka, ao norte do país, onde recentemente foram descobertos centenas de corpos de civis em valas comuns.

“A Ucrânia é uma cena de crime. Estamos aqui porque temos motivos razoáveis ​​para acreditar que crimes dentro da jurisdição do TPI estão sendo cometidos”, disse Khan.

Após a retirada das tropas russas de Bucha, no início de abril, a Procuradoria Geral da Ucrânia divulgou que 410 corpos foram encontrados nas ruas, com sinais de terem sido sumariamente executados. As vítimas estariam trajando roupas civis e muitas estavam com as mãos atadas.

Na quarta-feira, 13, Khan se encontrou com a procuradora-geral ucraniana Iryna Venediktova, em Kiev, para cooperar em uma investigação independente do TPI e reafirmar o compromisso na “prestação de contas dos crimes cometidos na Ucrânia”.

Além da procuradora-geral, também estavam presentes o primeiro-pinistro ucraniano, o ministro da Defesa, o ministro da Justiça, o ministro do Interior e o vice-chefe do gabinete presidencial.

Na reunião, o primeiro-ministro, Denys Shmyhal, alegou que a Rússia vem cometendo crimes de guerra em massa e crimes contra a humanidade na Ucrânia desde 2014, época da anexação da península Crimea pela Rússia. Mencionou também o ataque com mísseis na estação ferroviária de Kramatorsk e os crimes em Mariupol “que a Rússia está tentando esconder”.

Segundo Volodymyr Zelensky, os especialistas do TPI já estão em Bucha, investigando os supostos crimes. Em março, a pedido de 42 países, o Tribunal Penal Internacional anunciou que faria uma investigação sobre crimes de guerra após a invasão da Ucrânia pela Rússia.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)