Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Primeiro-ministro do Egito remodela governo interino

Quatro novos ministros foram escolhidos para aliviar tensão política

Por Da Redação 10 Maio 2012, 07h41

O primeiro-ministro do Egito, Kamal Ganzouri, iniciou nesta quinta-feira a remodelação parcial do governo interino com a designação de quatro novos ministros, informou um porta-voz da Junta Militar. As mudanças no gabinete ocorrem depois das últimas pressões do Parlamento contra a gestão de Ganzouri, que levaram a Junta Militar a anunciar mudanças no Executivo para aliviar a tensão política.

Entenda o caso

  1. • Na onda da Primavera Árabe, que teve início na Tunísia, egípcios iniciaram, em janeiro, sua série de protestos exigindo a saída do então presidente Hosni Mubarak.
  2. • Durante as manifestações, mais de 800 rebeldes morreram em choques com as forças de segurança de Mubarak que, junto a seus filhos, é acusado de abuso de poder e de premeditar essas mortes.
  3. • Após 18 dias de levante popular, em 11 de fevereiro, o ditador cede à pressão e renuncia ao cargo, deixando Cairo; em seu lugar assumiu a Junta Militar.

Leia mais no Tema ‘Revolta no Egito’

A previsão é de que nas próximas horas jurem seus cargos ante o chefe da Junta Militar, Hussein Tantawi, os futuros ministros de Ensino Superior, Mohammed Abdel Hamid al Nashar; Cultura, Mohammed Saber Arab; Assuntos Parlamentares, Omar Mohammed Mohammed Salem; e Trabalho e Imigração, Refat Mohammed Hassan Mohammed.

Eleições – Também nesta quinta-feira, a Comissão Eleitoral egípcia assegurou que as eleições presidenciais estão mantidas para os dias 23 e 24 de maio. O órgão eleitoral veio a público para confirmar a data do pleito um dia depois de um tribunal provincial ter anulado sua convocação.

“Até agora, a Comissão Eleitoral continua seu trabalho, e as eleições serão realizadas em sua data”, garantiu um porta-voz da Comissão Eleitoral Presidencial, Hatem Bagato.

(Com agência EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade