Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Primeiro em 200 anos, imperador japonês anuncia data de renuncia

Imperador Akihito, de 85 anos, será sucedido pelo príncipe herdeiro em maio de 2019

Pela primeira vez em 200 anos, um imperador japonês vai abdicar do cargo. O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe anunciou nesta sexta-feira que o imperador Akihito, de 85 anos, renunciará ao posto no dia 30 de abril de 2019. O substituto, o príncipe herdeiro Naruhito, será empossado no dia seguinte, marcando o início de uma nova era no país.

A decisão foi tomada hoje durante reunião do Conselho da Casa Imperial, que incluiu políticos, funcionários judiciais e membros da família imperial. A aprovação formal do gabinete sobre a decisão, que será fundamentada em uma lei especial adotada em junho para permitir que Akihito abdique do cargo, deverá ser apresentada pelo governo no dia 8 de dezembro. A Constituição pós-guerra do país, que regula o papel do imperador e suas funções, não contava com leis sobre o processo de sucessão que não por causas naturais, fato que obrigou a mudança do regimento legal.

Nos últimos anos, Akihito vinha expressando o desejo de abdicar do trono. Ele passou por cirurgia cardíaca e tratamento para câncer de próstata, e sugeriu em determinadas situações o temor de que a idade avançada dificultasse o cumprimento de suas funções, restritas a compromissos cerimoniais. O chefe da família imperial chegou ao posto em janeiro de 1989, ao suceder a seu pai, Hirohito, imperador do Japão durante a II Guerra Mundial.

Veja também

Abdicações ao trono imperial são raríssimas no Japão — o último caso registrado foi em 1817, quando Kokaku deixou o cargo, informa o jornal britânico The Guardian. Segundo a mitologia japonesa, o reinado da família imperial data de 2.600 anos atrás. Naruhito será o 126º integrante a ser alçado ao cargo.

Atualmente, a família imperial japonesa conta com dezenove membros, dos quais apenas seis homens. O número total, contudo, diminuirá em novembro, com o casamento da princesa Mako. A neta mais velha de Akihito, de 25 anos, em decorrência das leis que regem a casa real, vai perder seu título com a concretização do matrimônio agendado para 2018 com o plebeu Kei Komuro, um advogado que conheceu durante seus estudos universitários.