Clique e assine a partir de 9,90/mês

Primeiro em 200 anos, imperador japonês anuncia data de renuncia

Imperador Akihito, de 85 anos, será sucedido pelo príncipe herdeiro em maio de 2019

Por Da redação - Atualizado em 1 dez 2017, 18h18 - Publicado em 1 dez 2017, 13h48

Pela primeira vez em 200 anos, um imperador japonês vai abdicar do cargo. O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe anunciou nesta sexta-feira que o imperador Akihito, de 85 anos, renunciará ao posto no dia 30 de abril de 2019. O substituto, o príncipe herdeiro Naruhito, será empossado no dia seguinte, marcando o início de uma nova era no país.

A decisão foi tomada hoje durante reunião do Conselho da Casa Imperial, que incluiu políticos, funcionários judiciais e membros da família imperial. A aprovação formal do gabinete sobre a decisão, que será fundamentada em uma lei especial adotada em junho para permitir que Akihito abdique do cargo, deverá ser apresentada pelo governo no dia 8 de dezembro. A Constituição pós-guerra do país, que regula o papel do imperador e suas funções, não contava com leis sobre o processo de sucessão que não por causas naturais, fato que obrigou a mudança do regimento legal.

Nos últimos anos, Akihito vinha expressando o desejo de abdicar do trono. Ele passou por cirurgia cardíaca e tratamento para câncer de próstata, e sugeriu em determinadas situações o temor de que a idade avançada dificultasse o cumprimento de suas funções, restritas a compromissos cerimoniais. O chefe da família imperial chegou ao posto em janeiro de 1989, ao suceder a seu pai, Hirohito, imperador do Japão durante a II Guerra Mundial.

Abdicações ao trono imperial são raríssimas no Japão — o último caso registrado foi em 1817, quando Kokaku deixou o cargo, informa o jornal britânico The Guardian. Segundo a mitologia japonesa, o reinado da família imperial data de 2.600 anos atrás. Naruhito será o 126º integrante a ser alçado ao cargo.

Continua após a publicidade

Atualmente, a família imperial japonesa conta com dezenove membros, dos quais apenas seis homens. O número total, contudo, diminuirá em novembro, com o casamento da princesa Mako. A neta mais velha de Akihito, de 25 anos, em decorrência das leis que regem a casa real, vai perder seu título com a concretização do matrimônio agendado para 2018 com o plebeu Kei Komuro, um advogado que conheceu durante seus estudos universitários.

Publicidade