Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Primeira-ministra Theresa May: meu acordo, nenhum acordo ou nenhum Brexit

Na quarta-feira 05, Theresa May sofreu uma derrota simbólica no Parlamento Escocês, com 92 votos contra seu acordo e apenas 29 à favor

Nesta quinta, 6, a primeira-ministra britânica Theresa May declarou que os parlamentares ingleses encaram três opções diante de sua decisão sobre o Brexit: aprovarem os termos propostos por ela, encararem uma saída da União Europeia sem acordo ou até a possibilidade de uma reversão do plebiscito de 2016.

“Há três opções: uma é deixar a União Europeia com um acordo… as outras duas são sair sem um acordo ou não ter nenhum Brexit”, disse à rádio BBC.

Segundo May, alguns membros do Parlamento estão tentando frustrar a saída, mas ela acredita que um novo referendo sobre o assunto não é o caminho a ser tomado: “Está claro que há aqueles na Casa dos Comuns que querem frustrar o Brexit e anular o voto do povo britânico, e isso não é certo”.

 

A primeira-ministra se esquivou das perguntas sobre um possível adiamento da votação no dia 11 de dezembro, mas deu pistas sobre possíveis concessões a respeito da polêmica fronteira da Irlanda do Norte.

O chamado “backstop”, tem o objetivo de manter a fronteira aberta entre o território do Reino Unido e Irlanda, e é uma das maiores questões rondando o acordo. A União Europeia cobrou que os britânicos incluíssem garantias de uma convivência estável entre os territórios e, para isso, o Reino Unido incluiu uma cláusula em que permaneceria na área de livre comércio da UE pelo menos até 2020, ainda respondendo às regras do grupo, o que muitos parlamentares consideram ir contra os objetivos do Brexit.

Rejeição na Escócia

Na quarta-feira 5, o acordo de May foi enfaticamente negado no Parlamento Escocês, em uma possível prévia dos resultados em Westminster na próxima semana.

Partido Trabalhista, Liberal Democrata, Partido Nacional Escocês e Partido Verde da Inglaterra demandam que “uma alternativa melhor seja levada para frente”. Apenas o Partido Conservador Escocês apoiou a proposta da primeira-ministra. A oposição os acusou de “estarem prontos para se jogar cegamente no abismo do Brexit”.

Em votação de valor simbólico, 92 membros do parlamento escocês rejeitaram o acordo, contra apenas 29 à favor. O representante do Partido Verde, Ross Greer afirmou que “o acordo é tão desagradável que os dois secretários responsáveis pelo Brexit renunciaram ao cargo para votar contra ele”, fazendo referência a David Davis e Dominic Raab.

Grande recessão

Semana passada, durante o G20, o presidente da União Europeia, Donald Tusk, antecipou as falas de Theresa May, alertando para as consequências de um possível fracasso do Brexit. Ele deixou claro que o acordo é “o único possível”, em meio às especulações de que May poderia tentar renegociar o pacote.

O Banco da Inglaterra e o Departamento do Tesouro britânico liberaram relatórios em que projetam um cenário de grande recessão se a rejeição do acordo se concretizar, com impacto devastador na renda per capita do país.