Clique e assine a partir de 9,90/mês

Primeira infecção por Covid-19 na França ocorreu em dezembro

Exame em amostras de sangue de um paciente no fim de 2019 dão positivo para o vírus e abrem novas vias de estudo sobre a origem da pandemia

Por Redação - Atualizado em 5 May 2020, 11h48 - Publicado em 5 May 2020, 11h27

Os médicos do Centro Hospitalar Saint-Denis encontraram evidencias de que a Covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus, pode ter começado a se propagar na França em dezembro de 2019, um mês antes de o país confirmar oficialmente a presença do vírus em seu território e a mesma época em que surgiram os primeiros casos oficiais na China. A constatação abre novos caminhos para os estudos sobre a origem e a propagação da doença.

“A Covid-19 já estava se espalhando na França no final de dezembro de 2019, um mês antes dos primeiros casos oficiais da doença no país”, escreveram os médicos do hospital em um estudo publicado no domingo 3 no International Journal of Antimicrobial Agents. O diagnóstico oficial da doença somente ocorreu em 24 de janeiro.

Os médicos analisaram amostras de sangue de pacientes que deram entrada no hospital entre os dias 2 de dezembro e 16 de janeiro com sintomas parecidos com os da gripe comum. Das 58 amostras testadas, uma deu positivo para a Covid-19.

O paciente era um pescador, de 42 anos, nascido na Argélia e que morava na França há muitos anos. Ele deu entrada no hospital no dia 27 de dezembro com sintomas similares aos da gripe, e ficou internado na UTI até receber alta, dois dias depois. Um de seus filhos também apresentou sintomas similares.

Continua após a publicidade

Segundo o estudo, o pescador não tinha histórico de viagem para China e não viajara ao seu país natal desde agosto de 2019. “Relatamos a observação de que houve um paciente infectado com a Covid-19 um mês antes dos primeiros casos relatados no país (…) Identificar o primeiro paciente é de grande interesse epidemiológico, porque ele muda dramaticamente nosso conhecimento sobre a Sars-Cov-2 (o nome científico do vírus) e sua propagação no país”, afirmam os médicos. “Além disso, a falta de uma ligação com a China e de histórico de viagens recentes sugerem que a doença já estava se propagando na população francesa no final de dezembro de 2019.”

Entender a dinâmica da propagação do vírus, ajuda a explorar a extensão das potenciais mortes causadas pela Covid-19 durante o período. Atualmente, a França diagnosticou 169.583 pessoas e contabilizou 25.204 mortos.

ASSINE VEJA

Moro fala a VEJA: ‘Não sou mentiroso’ Em entrevista exclusiva, ex-ministro diz que apresentará provas no STF das acusações contra Bolsonaro. E mais: a pandemia nas favelas e o médico brasileiro na linha de frente contra o coronavírus. Leia nesta edição.
Clique e Assine
Publicidade