Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Primeira-dama da França ficará hospitalizada por tempo indeterminado

Jornal francês afirma que Valérie Trierweiler estaria disposta a 'perdoar' o presidente François Hollande, flagrado em encontros secretos com uma atriz

A jornalista Valérie Trierweiler, companheira do presidente da França, François Hollande, permanecerá hospitalizada por tempo indeterminado, informaram nesta segunda-feira assessores da mulher que é tida como primeira-dama da França, mesmo sem ser casada oficialmente com Hollande. “Os médicos consideraram que ela precisa de mais repouso, por isso ela vai continuar internada. Ela precisa se recuperar depois do choque que levou. Ela precisa de tranquilidade”.

Valérie foi hospitalizada na última semana, depois que veio à tona a notícia de que Hollande manteria uma relação com a atriz Julie Gayet. Inicialmente, esperava-se que a primeira-dama recebesse alta nesta segunda, véspera de uma importante entrevista coletiva que Hollande concederá no Palácio do Eliseu – mais de 500 jornalistas estão credenciados. A intenção do presidente é focar em políticas econômicas de seu governo, mas o assunto que tem dominado a imprensa, claro, é seu affair com Julie.

Na sexta-feira, Hollande lamentou a publicação de informações sobre sua vida privada e ameaçou processar a revista Closer, que revelou o relacionamento com Julie. Mas ele não chegou a desmentir a reportagem. “Lamento profundamente as violações do meu direito à privacidade”, disse o presidente.

O jornal Le Parisien afirmou que funcionários do Eliseu suspeitam que Valérie estaria tentando uma chantagem afetiva. Uma pessoa próxima da primeira-dama acredita que ela estaria pronta para “perdoar”. “Mas ela quer saber quais são as intenções de Hollande”, disse a fonte, não identificada pelo jornal francês. O diário lembrou ainda que daqui a um mês, Hollande fará uma visita aos Estados Unidos, durante a qual Valérie teria um encontro privado com Michelle Obama. As equipes responsáveis pelo protocolo da visita, no entanto, já trabalham com a possibilidade de mudanças nos eventos.

Hollande não é casado oficialmente com Valérie. Também não foi casado com Ségolène Royal, mãe de seus quatro filhos, e que já foi candidata à Presidência na França – ela foi derrotada por Nicolas Sarkozy, em 2007. A revista The Economist pontuou que os franceses podem não se importar com o fato de o presidente ter um caso, mas sim com a questão de Valérie ter assumido o posto de primeira-dama, com uma equipe completa, mesmo ainda cumprindo uma “função ambígua”. Ela continua a escrever para a revista Paris-Match, como crítica literária.

Hollande está com Valérie desde 2007, quando trocou Ségolène pela jornalista. O caso com Julie teria começado em junho do ano passado, o que, especula-se, levou o presidente e a jornalista a dormirem em alas distintas do palácio. O que acontece na vida privada dos presidentes não costuma ser de interesse do público francês, mesmo quando eventuais ‘escapadas’ envolvem dinheiro público, como aconteceu com François Miterrand, que manteve uma segunda família com a amante.

(Com agências EFE e Reuters)

Em VEJA: Entrevista com Carla Bruni-Sarkozy

Antecessor de Hollande, Nicolas Sarkozy anunciou em uma entrevista coletiva que sua relação com a modelo e cantora Carla Bruni era “séria”. Ele se divorciou da mulher Cecilia quando ainda ocupava a Presidência e teve um filho com Bruni ainda durante o mandato. A presença da beldade sem dúvida aumentou o interesse pelos eventos do presidente.

Hollande é o mandatário mais impopular da França desde o início da Quinta República, em 1958. Seus encontros secretos com a atriz não devem melhorar em nada sua situação no governo. Apenas provam sua habilidade em atrair mulheres bonitas.