Clique e assine com até 92% de desconto

Joe Biden vence em quatro estados e amplia vantagem sobre Sanders

Ex-vice-presidente dá passo importante para a indicação democrata para as eleições contra Donald Trump

Por Da Redação Atualizado em 30 jul 2020, 19h27 - Publicado em 10 mar 2020, 22h50

O ex-vice-presidente dos Estados Unidos Joe Biden venceu as primárias em ao menos quatro dos seis estados em jogo nesta terça-feira, 10, segundo projeções dos meios de comunicação americanos, dando um passo crucial sobre Bernie Sanders na corrida pela indicação democrata à Casa Branca.

De acordo com projeções, Biden terá uma vantagem de 10 pontos sobre o senador de esquerda em Michigan, estado com maior número de delegados e o disputado status de “swing state” (estado pendular, ou independente, aquele sem um perfil eleitoral definido). O estado no nordeste americano, era a cereja do bolo desta terça.

As projeções indicam que Biden venceu também em Mississípi, Missouri e Idaho. Já o senador progressista deve levar a melhor em Dakota do Norte e, até o momento, lidera as projeções em Washington, mas com uma vantagem mínima sobre o ex-vice de Obama.

Michigan foi o estado que escolheu Donald Trump nas últimas eleições e onde Sanders bateu Clinton nas primárias democratas do mesmo ano. Ao todo, estão em jogo nesta terça 352 delegados. São necessários 1.991 para a indicação do Partido Democrata.

Comícios cancelados

Durante a tarde, Biden e Sanders cancelaram seus comícios em Ohio, seguindo a orientação das autoridades, diante da epidemia do novo coronavírus.

Continua após a publicidade

Biden, 77 anos, que recebeu nos últimos dez dias uma avalanche de apoios de antigos adversários, tem uma plataforma tradicional democrata, com reformas legislativas de centro, enquanto Sanders, senador por Vermont de 78 anos, se define como um “socialista democrata” defensor de uma “revolução”.

Um incidente envolvendo Biden, muito compartilhado nas redes sociais pelos partidários de Trump, ocorreu enquanto os eleitores compareciam às urnas.

Biden estava em uma fábrica da Fiat Chrysler em Michigan, onde foi bem recebido, mas foi confrontado por um dos funcionários. Ele o acusou de tentar restringir o direito constitucional para o porte de armas de fogo.

“É um mentiroso de merda”, respondeu o candidato. “Apoio a Segunda Emenda”, lhe disse antes de responder, visualmente irritado e com uma voz forte: “Não vou tirar a sua arma”.

  • (com AFP)

    Continua após a publicidade
    Publicidade