Clique e assine a partir de 9,90/mês

Preso na Geórgia homem que mantinha oito filhos em cativeiro

Amiran Devnozashvili alega proteger seus filhos da 'má influência da sociedade' e não reconhece sua culpa

Por Da Redação - 13 ago 2018, 17h49

O georgiano Amiran Devnozashvili, que manteve “em cativeiro” seus oito filhos durante anos, foi detido pela polícia nesta segunda-feira (13), segundo fontes do Ministério do Interior da Geórgia. Seu crime havia sido revelado em fevereiro passado.

Devnozashvili foi acusado de privação de liberdade de seus filhos, de 7 a 21 anos, por meio de métodos físicos e psicológicos. Ele pode ser condenado a um ano de prisão.

A notícia sobre o pai de família que não deixava seus filhos saírem de casa para “protegê-los da má influência da sociedade” comoveu a Geórgia em fevereiro, quando vários meios da imprensa local o entrevistaram na porta de sua casa.

“Os meus filhos sabem coisas importantes como, por exemplo, que fumar é ruim (…). Faço deles homens como eu mesmo, eu os ensino o que considero necessário. Não é preciso aprender química e física”, relatou Devnozashvili, com o cuidado de não deixar que os jornalistas avançassem para o pátio da casa da família. Esse é o único lugar onde seus oito filhos – três meninos e cinco meninas – podiam “passear”.

Continua após a publicidade

Devnozashvili, que foi submetido a um exame psiquiátrico, não reconhece sua culpa, conforme informou seu defensor, Gocha Kilasonia. O advogado acrescentou que seu cliente “sofre de diabetes” e requer tratamento médico.

A privação de liberdade de seus filhos provocou fortes críticas entre assistentes sociais e moradores da cidade, que não conseguiram influenciar a situação. As autoridades policiais se esquivaram até agora de aplicar medidas drásticas contra o homem, que prometeu “sangue” se perdesse a guarda de seus filhos.

(Com EFE)

Publicidade