Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Presidente sul-coreano causa crise diplomática com Japão

Governo japonês chamou o seu embaixador em Seul de volta após a visita de Lee Myung-bak a um arquipélago com a soberania disputada pelas duas nações

A visita do presidente sul-coreano Lee Myung-bak a um distante arquipélago no Mar do Japão, nesta sexta-feira, reabriu velhas feridas entre Seul e Tóquio, provocando o início de uma crise diplomática entre os dois países.

As remotas ilhas vulcânicas, conhecidas como Dokdo na Coreia do Sul e como Takeshima no Japão — e também denominadas Rochedos de Liancourt no Ocidente –, não são habitadas, mas estão situadas em uma zona rica para a pesca, onde também se especula que possam existir reservas de gás natural.

Tensão – A soberania do arquipélago é disputada há décadas pelos dois países e tem provocado atritos de forma periódica entre as duas potências asiáticas. Desde 1954, a Coreia do Sul ocupa as ilhas com um pequeno destacamento marítimo, mas esta é a primeira vez que um presidente sul-coreano viaja ao local.

De acordo com a agência de notícias japonesa Kyodo, em uma resposta imediata à visita de Lee, o governo do Japão retirou temporariamente o seu embaixador da Coreia do Sul. O ministro das Relações Exteriores do país, Koichiro Gemba, afirmou que não entende as razões da visita de Lee e reforçou, em uma declaração para a imprensa, que as ilhas são uma parte inseparável do Japão.

A disputa pelas ilhas volta a ocupar as manchetes asiáticas às vésperas do aniversário do fim da ocupação japonesa na Coreia, em 1945. Em um incidente semelhante, em 2008, Seul convocou o seu embaixador em Tóquio após descobrir que um livro didático japonês afirmava que o Japão era dono do arquipélago.

(Com agência France-Presse)