Clique e assine a partir de 9,90/mês

Presidente russo afirma que Kadafi ainda mantém influência

Dmitri Medvedev diz que atualmente há uma dualidade de poder político na Líbia

Por Da Redação - 24 ago 2011, 06h33

O presidente da Rússia, Dmitri Medvedev, afirmou nesta quarta-feira que, apesar do êxito dos rebeldes líbios em Trípoli, o ditador Muammar Kadafi ainda mantém certa influência e capacidade militar.

Em discurso à imprensa após se reunir com o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-il, Medvedev explicou que a Rússia acompanha de perto os eventos na Líbia e mantém uma postura cautelosa a respeito, mas reconhece que o exercício do poder no país árabe não está definido. “Por enquanto, a situação continua sendo a que era. De fato, há dualidade de poder”, ressaltou o chefe do Kremlin.

Medvedev afirmou que os rebeldes líbios têm de ser capazes de unir o país para que a Rússia possa reorganizar as relações bilaterais. “Se os rebeldes tiverem a força de vontade e chances de unificar o país sobre os novos princípios democráticos, buscaremos estabelecer as relações correspondentes”, declarou o presidente russo, que expressou interesse de que os líbios cheguem a acordos entre eles.

“A Líbia é um país muito complexo, com muitas tribos e clãs. Kadafi mantinha certo equilíbrio entre todos eles, criava oportunidades para que o Estado se desenvolvesse como um todo indivisível”, explicou Medvedev.

Continua após a publicidade

O dirigente russo considerou que as duas resoluções do Conselho de Segurança da ONU sobre a Líbia seguem em vigor e devem ser cumpridas: “Só assim a paz chegará à terra líbia”.

(com Agência EFE)

Publicidade