Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Presidente regional de Madri renuncia após acusação de furto em mercado

Imagens divulgadas por jornal mostram Cristina Cifuentes pagando aos seguranças de um supermercado por dois potes de creme que teria colocado na bolsa

Por Da redação - 25 abr 2018, 09h45

A presidente da região espanhola de Madri, Cristina Cifuentes, anunciou sua renúncia do cargo nesta quarta-feira, após a divulgação de um vídeo em que ela aparece furtando produtos em um supermercado.

Há um mês, Cifuentes estava na corda bamba pelos indícios de que teria obtido de forma fraudulenta um título de mestrado na universidade pública madrilena Rei Juan Carlos, como revelou o jornal digital eldiario.es. Investigado pelo Ministério Público, o escândalo levou a presidente madrilena a abrir mão do mestrado e serviu para expor outros casos similares de políticos com currículos falsificados, ou com títulos obtidos em condições vantajosas.

Sua situação se agravou nesta quarta-feira, quando o site de notícias okdiario divulgou um vídeo de 2011, no qual se vê Cifuentes, à época primeira vice-presidente do Parlamento autônomo, pagando ao segurança de um supermercado da capital o valor de dois cremes descobertos em sua bolsa.

Segundo o jornal, Cifuentes foi detida no local depois que uma funcionária a descobriu furtando os cosméticos. Cifuentes negou o furto e disse aos seguranças que os potes estavam em sua bolsa antes de entrar no supermercado. Ela teria sido conduzida a uma sala, onde o vigilante teria solicitado os produtos furtados.

Publicidade

A reportagem também afirma que os guardas de segurança chamaram a polícia. Por tratar-se da vice-presidente da Assembleia, ela foi liberada depois de pagar pelos cremes.

A líder conservadora anunciou sua renúncia, alegando que já pretendia fazer isso em 2 de maio, após as celebrações da festa regional de Madri. O nome mais provável para ocupar o cargo é o de Ángel Garrido, o número dois do governo de Cifuentes.

(Com AFP e EFE)

Publicidade