Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Presidente palestino anuncia na ONU que convocará eleições

Territórios palestinos não realizam pleito eleitoral desde 2007, quando votação foi interrompida pelo Hamas

Por EFE - 26 set 2019, 16h30

Durante seu discurso na Assembleia-Geral das Nações Unidas nesta quinta-feira, 26, o presidente da Autoridade Nacional da Palestina (ANP)Mahmoud Abbas, anunciou que convocará novas eleições presidenciais quando voltar ao seu país.

“Quando voltar à minha pátria vou convocar eleições”, declarou Abbas, que ocupa o cargo à frente da ANP desde as eleições de 2005, as últimas realizadas para a Presidência. No ano seguinte, aconteceram as últimas eleições parlamentares.

“Tivemos eleições gerais em 1996, em 2005 e em 2006, mas foram paralisadas pelo Hamas em 2007”, lembrou o líder palestino, que disse que desde 2007 pediu a reconciliação e a realização de um novo pleito.

De acordo com uma pesquisa recente, 61% dos palestinos queria que Abbas renunciasse ao cargo que ocupa há 14 anos e 80% da população está descontente com a gestão da ANP.

Publicidade

“Ao voltar à minha pátria, vou pedir eleições na Cisjordânia, na Faixa de Gaza e em Jerusalém Oriental, e todo aquele que se opuser a essas eleições terá que prestar contas perante Deus e a comunidade internacional”, destacou.

O Centro Palestino de Pesquisa Política (PSR), organização que realizou a pesquisa junto com a Fundação Konrad-Adenauer-Stiftung (KAS), antecipou que se fossem realizadas eleições presidenciais nos territórios palestinos atualmente, Abbas teria 48% dos votos, e o chefe político do movimento islamita Hamas, Ismail Haniyeh, ficaria ligeiramente atrás, com 46%.

Por outro lado, 44% das pessoas ouvidas considera a luta armada como a ferramenta mais efetiva para acabar com a ocupação israelense, enquanto 24% opinou que isso deve ser feito mediante negociações e 22% apoia a resistência popular.

Publicidade