Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Presidente francês visita obras de Notre-Dame e promete reabertura em 2024

Dois anos depois que um incêndio destruiu a catedral do século XII, restauração continua, apesar da pandemia de Covid-19

Por Da Redação Atualizado em 15 abr 2021, 14h18 - Publicado em 15 abr 2021, 13h55

Dois anos depois do incêndio que destruiu a Catedral de Notre-Dame, em Paris, o presidente francês Emmanuel Macron fez uma visita oficial às obras de restauração nesta quinta-feira, 15. Acompanhado de ministros, da prefeita Anne Hidalgo e do general reformado que supervisiona a recuperação da construção do século XII, Macron agradeceu aos mais de 700 operários que trabalham no local.

“Todos se lembram onde estavam há dois anos, da emoção de todos os católicos, de todos os parisienses e de  todos os franceses”, disse Macron. “Estamos todos impressionados com o que vemos, com o trabalho que foi realizado em dois anos. Bravo e obrigado.”

Macron reafirmou que a basílica será reinaugurada em 2024 – ano que o país receberá os Jogos Olímpicos e apesar dos atrasos provocados pela pandemia de Covid-19. Além de agradecer a quem está atuando na recuperação da igreja, o presidente francês aproveitou para elogiar também os mais de “340 mil doadores financeiros de todo o mundo”.

Ao todo, a obra de recuperação de um dos mais icônicos monumentos de Paris custará cerca de 834 milhões de euros (5,6 bilhões de reais). A Basílica de Notre-Dame, que tem 850 anos, foi parcialmente destruída por um incêndio em 15 de abril de 2019. O fogo destruiu parte da abóbada e do telhado, bem como o relógio e a agulha que ficava no teto.

Continua após a publicidade
Publicidade