Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Presidente do Sul diz estar aberta a reunião com ditador do Norte

Park Geun-hye afirmou que "não há precondição" para um encontro de cúpula com o ditador Kim Jong-un, nem o fim do programa nuclear norte-coreano

Por Da Redação 12 jan 2015, 10h58

A presidente sul-coreana Park Geun-hye disse nesta segunda-feira estar disposta a realizar uma reunião de cúpula com o ditador norte-coreano Kim Jong-un. O fim do programa nuclear da Coreia do Norte deve ser uma parte importante das discussões para a paz na península coreana, mas não é uma precondição para um encontro, afirmou Park em entrevista transmitida pela TV. “Minha posição é que, para aliviar a dor da divisão e conseguir a unificação pacífica, estou disposta a reunir-me com qualquer um”, disse Park. “Se for útil, estou aberta para uma reunião de cúpula com o Norte. Não há precondição.”

Não há nenhum sinal de qualquer plano concreto para uma reunião entre Seul e Pyongyang. Os chefes de Estado das Coreias do Norte e do Sul se encontraram apenas duas vezes desde que a península foi dividida no final da II Guerra Mundial. Os dois lados ainda estão tecnicamente em guerra desde a Guerra da Coreia (1950 – 1953), que terminou com uma trégua, e não um tratado de paz. Mais de 1,8 milhão de soldados estão destacados em ambos os lados da fronteira, uma das mais fortificadas do mundo.

Leia também

Seul deporta americana após elogios à Coreia do Norte

Coreia do Norte propõe suspender teste nuclear se EUA pararem treinos militares

Continua após a publicidade

EUA reforçam sanções à Coreia do Norte por ataque à Sony

Coreia do Norte ameaça EUA com ‘guerra desastrosa’ por causa de sanções

deportada neste sábado

A primeira cúpula entre as Coreias, em 2000, entre o então presidente sul-coreano Kim Dae-jung e o então ditador norte-coreano Kim Jong-Il, levou a um período de rápida expansão nas relações, incluindo a abertura de um parque fabril no Norte montado por empresas do Sul e um projeto turístico. O ex-presidente sul-coreano Roh Moo-hyun se encontrou com Kim sete anos mais tarde e os dois prometeram uma maior cooperação, mas a maior parte dos projetos ambiciosos discutidos na época permanece no papel e, em vez do avanço, seguiu-se um período de tensão durante o mandato do sucessor de Roh, Lee Myung-bak.

(Com agência Reuters)

Continua após a publicidade
Publicidade