Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Presidente do Peru diz que Odebrecht deve deixar o país

A construtora já havia sido expulsa da Colômbia, onde também pagou subornos em troca de licitações de obras públicas

O presidente do Peru, Pedro Paulo Kuczynski, disse que a Odebrecht deve vender todos os seus projetos e deixar o país, depois de admitir o pagamento de subornos durante três governos, de 2005 a 2014, que somam 29 milhões de dólares (91 milhões de reais).

“Alguns dos projetos da empresa são muito bons em fornecimento de eletricidade, rodovias e outros”, disse Kuczynski à emissora RPP. “Lamentavelmente, eles estão contaminados pela corrupção. A Odebrecht tem que ir embora, acabou”, declarou o mandatário.

Com a afirmação do presidente, o governo peruano se junta ao da Colômbia, que disse na semana passada que também pretende expulsar a Odebrecht do país. A construtora terá que chegar a um acordo com o Ministério Público do Peru, que está investigando os casos de subornos das empresas brasileiras que operam no país, informou Kuczynski.

O líder peruano disse ainda que considerou “muito baixo” os 30 milhões de soles (aproximadamente 31,7 milhões de reais) que a empresa adiantou ao Peru pela devolução dos ganhos ilícitos obtidos. Nos Estados Unidos, onde houve poucas obras, a Odebrecht terá de pagar 2,5 bilhões de dólares (9,1 bilhões de reais) como multa. “O grande país onde havia toda a construção, além do Brasil, era o Peru, e nossa multinha é de 30 milhões de soles, uns 10 milhões de dólares? Que vergonha”, acrescentou Kuczynski.

Em comunicado divulgado nesta terça-feira, a Odebrecht pediu “profundas desculpas” à sociedade e aos trabalhadores, entre eles os peruanos,”pelos graves erros cometidos por ex-dirigentes”. A nota ressalta que a empresa está fazendo “todo o possível” para esclarecer os fatos, “fazendo que a justiça chegue a todos os envolvidos, permitindo também o pagamento da justa reparação ao Estado”.

(Com AFP e Estadão Conteúdo)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. A empresa que deixou de fazer engenharia pra fazer propinaria

    Curtir

  2. Nelson José de Oliveira

    Há um grande número de políticos que gostam de fazer parecer que a corrupção tem início nos fornecedores. Eu não concordo com isso! Normalmente, quem define as regras da negociação são os compradores. Eles é que são donos do negócio e determinam de que maneira querem negociar. Talvez o presidente do Peru queira dizer que a Odebrecht tenha levado a corrupção ao seu pais, que até então tinha políticos e funcionários públicos tão inocentes. Muitos de nossos políticos e militantes de esquerda também usam deste artifício e pregam a ideia de que os empresários é que são os vilões e corrompem os coitadinhos dos políticos e funcionário públicos. Vamos prestar mais atenção!

    Curtir