Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Presidente da China não quer mais ser chamado pelo apelido

Responsáveis pela propaganda do governo querem proibir imprensa de se referir a Xi Jinping como 'Papai Xi'

Por Da Redação 3 Maio 2016, 11h17

O presidente da China, Xi Jinping, não deseja mais ser chamado pelo apelido ‘Xi Dada’ (que, na tradução livre, significa algo como ‘Papai Xi’ ou ‘Titio Xi’). A ordem para não fazer mais uso do nome foi dada pelos responsáveis pela propaganda do governo aos meios de comunicação controlados pelo Estado, segundo a agência de notícias Bloomberg. Ao jornal britânico The Guardian, um jornalista da agência Xinhua disse que não recebeu instruções por escrito para evitar o apelido, mas assumiu que está sendo mais cauteloso ao usá-lo.

Leia também:

Alvo de chacota mundial, estátua gigante de Mao Tsé-tung é demolida

Presidente Xi Jinping é nomeado ‘comandante em chefe’ na China

Ainda não está clara a razão pela rejeição do apelido. Especialistas ouvidos pelo Guardian sugerem que o fato de Jinping ser chamado de ‘Papai Xi’ aproxima a sua imagem à de Mao Tsé-tung e do culto à personalidade que havia em torno do ditador. E essa ligação com Mao, segundo os estudiosos, estaria causando desconforto nas relações da China com outros países. “A China não quer ser vista como autocrata. Então essa interpretação do resto do mundo de que Xi Jinping é um ditador deve estar deixando os chineses loucos”, disse Kerry Brown, autor do livro CEO, China: The Rise of Xi Jinping (ou CEO, China: A Ascenção de Xi Jinping, na tradução livre).

Para Roderick MacFarquhar, especialista em China pela Universidade Harvard, banir o apelido não significa que haverá uma mudança na forma como Jinping governa o país. “Minha sensação é a de que ele está aprimorando a forma como se apresenta, mas não acredito que está mudando o seus princípios fundamentais”, disse. “Não sei se os seus informantes lhe disseram que ‘Xi Dada’ o fez parecer ridículo, mas há rumores de que o chefe de propaganda vem fazendo tudo sozinho e deliberadamente, e talvez Xi Jinping tenha acreditado nele”.

(Da redação)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)