Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Presa por escândalo da Odebrecht, Keiko Fujimori é internada no Peru

É a segunda vez, nos últimos 15 dias, que Keiko passa mal na prisão, onde está detida desde outubro de 2018

Por Da Redação - 15 set 2019, 15h44

Presa há dez meses pelo escândalo de corrupção da Odebrecht no Peru, Keiko Fujimori foi internada na noite deste sábado, 14, após sofrer uma crise de hipertensão. Keiko, de 44 anos, é filha do ex-ditador peruano Alberto Fujimori.

“O diagnóstico é de uma crise hipertensiva”, disse à imprensa neste domingo (15) a congressista Milagros Salazar, porta-voz do Partido Fujimorista, após visitar Keiko na clínica onde a líder da oposição peruana está internada. Segundo Milagros, os médicos conseguiram estabilizar a pressão arterial de Keiko, que apresentou dores no peito.

Mais cedo, pelo Twitter, a advogada de Keiko, Giulliana Loza, havia informado que sua cliente tinha sido “transferida para a clínica Centenário por problemas coronários”. É a segunda vez, nos últimos 15 dias, que Keiko passa mal na prisão, onde está detida desde outubro de 2018.

Dirigente política e duas vezes candidata presidencial, Keiko foi levada ontem à noite do presídio feminino de Chorrillos, ao sul de Lima, para a clínica peruano-japonesa Centenário.

Publicidade

O pai de Keiko, o ex-presidente Alberto Fujimori (1990-2000), de 81 anos, ficou internado na clínica Centenário até sexta-feira passada. Passou cinco dias hospitalizado, por uma afecção cardíaca.

Keiko recebeu a visita do marido, Mark Vito, e da vice-presidente do Parlamento, Karina Beteta. (Com informações da AFP)

Publicidade