Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Premiê sul-coreano oferece renúncia após vitória da oposição nas eleições

O partido conservador, no poder, foi derrotado por legendas liberais em pleito que redesenhou parlamento da Coreia do Sul

Por Da Redação
Atualizado em 8 Maio 2024, 13h22 - Publicado em 11 abr 2024, 14h49

O primeiro-ministro da Coreia do Sul, Han Duck-soo, e outros funcionários do governo se colocaram à disposição de renunciar aos seus cargos nesta quinta-feira, 11, depois do partido no poder ter sido derrotado pela oposição nas eleições parlamentares.

Os partidos liberais de oposição ao atual governo do presidente conservador Yoon Suk Yeol obtiveram grande a maioria dos votos na terça-feira 10. Enquanto o Partido do Poder Popular (PPP) de Yoon e aliados-satélite conquistaram 108 dos 300 assentos no parlamento, o Partido Democrata, principal na oposição, e sua coalizão ganharam 175.

A participação no pleito ficou em 67% (dos 44 milhões de eleitores sul-coreanos), o maior índice para uma eleição parlamentar desde 1992, segundo a comissão eleitoral do país. Dos 300 eleitos, 254 foram por votos diretos e os outros 46 foram nomeados por cada partido de acordo com sua proporção de votos.

Apesar do poder político do país estar majoritariamente concentrado nas mãos do presidente, o controle da oposição no parlamento deve dificultar o cumprimento da agenda nacional de Yoon e diminuir seu controle sobre o partido no poder.

Pedidos de renúncia

O presidente do PPP, Han Dong-hoon, se desculpou pela derrota e disse que renunciaria como forma de se responsabilizar pelo resultado das eleições.

Continua após a publicidade

“Peço desculpas ao povo em nome do nosso partido, que não foi bom o suficiente para ganhar”, disse ele durante uma coletiva de imprensa.

De acordo com o escritório de Yoon, todos os conselheiros presidenciais sênior, exceto os responsáveis pelas questões de segurança, também expressaram interesse em renunciar. O premiê ainda não divulgou se vai ou não aceitar os pedidos de renúncia.

Queda na popularidade

A popularidade de Yoon caiu devido a uma série de problemas, como a alta nos preços e sua falta de iniciativa para demitir altos funcionários do governo envolvidos em escândalos.

Depois da derrota, o presidente afirmou que “defenderá humildemente” o resultado das eleições e que o governo vai se esforçar para melhorar a situação econômica do país e realizar reformas estaduais, segundo o chefe de gabinete presidencial Lee Kwan-seop, que também se demitiu.

Continua após a publicidade

Yoon seguirá no poder até o fim do seu mandato, em 2027, e os novos parlamentares devem assumir seus cargos a partir de 30 de maio, para um mandato de quatro anos.

Oposição

O líder do Partido Democrata, Lee Jae-myung, havia perdido as eleições presidenciais de 2022 para Yoon e, desde então, enfrentou diversas investigações de corrupção, que ele alega serem impulsionadas por seu adversário político como forma de enfraquecer a oposição.

“Os resultados das eleições parlamentares não são a vitória do Partido Democrata, mas a grande vitória do nosso povo”, disse Lee. “Agora, as eleições acabaram. Tanto os partidos políticos no poder quanto os da oposição devem reunir todas as suas forças para resolver problemas econômicos e de subsistência pública.”

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.