Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Premiê líbio diz que anunciará governo de transição na terça

Representante dos EUA diz que ONU auxiliará na organização das eleições

O primeiro-ministro interino da Líbia, Abderrahim al-Kib, disse nesta segunda-feira que o novo governo de transição será anunciado na terça-feira, um dia antes do fim do prazo legal para sua formação. O anúncio foi feito durante uma entrevista coletiva realizada em Trípoli, ao lado da representante dos Estados Unidos na ONU, Susane Rice. Al-Kib afirmou que fez todo o possível para formar “uma boa equipe, que lutará pelos interesses do povo líbio”.

Entenda o caso

  1. • A revolta teve início no dia 15 de fevereiro, quando 2.000 pessoas organizaram um protesto em Bengasi, cidade que viria a se tornar reduto da oposição.
  2. • No dia 27 de março, a Otan passa a controlar as operações no país, servindo de apoio às tropas insurgentes no confronto com as forças de segurança do ditador, que está no poder há 42 anos.
  3. • Após conquistar outras cidades estratégicas, de leste a oeste do país, os rebeldes conseguem tomar Trípoli, em 21 de agosto, e, dois dias depois, festejam a invasão ao quartel-general de Kadafi.
  4. • A caçada pelo coronel terminou em 20 de outubro, quando ele foi morto pelos rebeldes em sua cidade-natal, Sirte.

Leia mais no Tema ‘Confrontos na Líbia’

“Chegou a hora de reconstruir o país. O novo líder da Líbia será a pessoa adequada, o que não ocorreu nos últimos 42 anos”, assegurou. Segundo o prazo estipulado após a morte de Muamar Kadafi, em 23 de outubro, o governo de transição deveria ser constituído 30 dias após essa data.

EUA – Susane Rice, por sua vez, disse se sentir orgulhosa pelo papel essencial desempenhado pelos EUA no conflito que resultou na queda do regime do ex-ditador. A enviada americana lembrou que conversou com as autoridades do Conselho Nacional de Transição líbio (CNT) sobre o papel do novo governo, que, segundo ela, deverá ser baseado no respeito aos direitos humanos. Susane afirmou ainda que a ONU apoiará o envio de ajuda humanitária à Líbia e auxiliará na organização das eleições, previstas para daqui a seis meses.

Saif al-Islam – Também nesta segunda-feira, o ministro das Relações Exteriores da Grã-Bretanha, William Hague, afirmou que o filho de Kadafi capturado no final de semana, Saif al Islam, deve ser julgado de acordo com as leis da corte internacional. Já o ministro líbio de Informação, Mahmoud Shammam, insistiu para que o processo judicial ocorra na Líbia e não em Haia.

(Com agência EFE)